quinta-feira, junho 02, 2016

Há quase 30 anos.....

Voto Branco ou nulo? Questão de consciência

Somos partes de uma sociedade. Estarmos bem não significa o mesmo para a sociedade, assim o bem-estar desta, não é o mesmo para nós.
Entendo que o voto deve ser dado àquele candidato que representa a defesa do bem-estar de toda a sociedade, indiscriminadamente. Assim como as células  compõem o nosso corpo, nós compomos a sociedade. Esta visão holística é fundamental para a vida, considerando que sem nossos sistemas vitais (respiratório, circulatório, digestivo) não viveríamos, assim como sem os sistemas sociais (escola, trabalho, clubes) não subsistiríamos.
Existe troca de energia entre as pessoas, o que torna o convívio social, orgânico e dinâmico, fundamental para a vida.
Não podemos esquecer que a felicidade e bem-estar de outra pessoa favorecem a nossa proporcionalmente. Hoje não somos livres dentro de nossa sociedade, pois receamos que outra pessoa nos faça mal (seja um assalto, um assassinato), esquecemos totalmente que esta é um ser humano como nós – que pensa, dorme, se alimenta – e que também precisa encontrar a felicidade e a liberdade.
O que pode aparentemente ser melhor para você, pode não ser para a sociedade e, por consequência, interferir também no seu bem-estar. É como se impedíssemos que uma célula de nosso corpo se descontrole e torne-se um câncer.
É necessário conscientizarmos para a extrema responsabilidade do nosso voto, pois ele interferirá em toda a sociedade. Lembre-se, somos partes da sociedade, assim como as células são tão importantes no nosso corpo... e a passividade tão maléfica quanto uma ação incorreta.
(Patricia)

1989

Faltando menos de 30 dias para a nossa eleição presidencial, devemos parar um pouco para refletir sobre a situação do povo brasileiro, vítima da rapina dos políticos inescrupulosos.
Engraçado é que todos lamentam a crise que o país atravessa, porém nada é feito para amenizar a situação, e, apesar de termos uma das maiores dívidas do mundo, apesar de termos a fome se alastrando como um furacão, apesar do alto índice de analfabetismo, da violência que assola o país, ainda assim, temos o maior número de candidatos a presidente do Brasil, já registrado pela estatística, superando até mesmo o resto do mundo. Não é um fato interessante? O barco está afundando mesmo assim tem que nele queira navegar.
(Iris)

Por que não dizer não?

Com a experiência de vida que tenho, estou mais do que convencida, que as pessoas que cedem a todos os embates exteriores, não só prejudicam a si, como exercem influência negativa a outros seres humanos, que por falta de maturidade e força de vontade se deixam influenciar perdendo o direito de ser livre e de usar sua liberdade para decidir voluntariamente.
Que bom seria se todos os brasileiros tivessem o direito de votar livremente. Quantas pessoas por circunstancias diversas, mesmo tendo consciência que o sistema que rege o Brasil está totalmente errado se deixam influenciar por terceiros e permanecem bitolados. Por que não usar a cabeça para solucionar os problemas
 de uma forma lógica e racional?
Gente, chegou a hora da reflexão, nada de continuísmo, é preciso dizer NÂO. A mudança de bases é fundamental. Sei que não vamos mudar a vida social do país de uma hora para outra, mas é preciso que todos usem em potência, força de vontade para através do voto dizer NÂO aos aproveitadores, que há anos vem nos prejudicando e até o momento atual não foram punidos pelas injustiças cometidas.
Será que devemos cruzar os braços? NÃO, vamos lutar! A oportunidade está aí. Somos responsáveis pelo futuro dos nossos irmãos carentes, dos nossos filhos que também anseiam por melhores dias.
Usando a cabeça, jovens e velhos eleitores, saberão escolher cautelosamente o nosso futura presidente.
(Hilda)

100 anos de República
No próximo dia 15 de novembro estaremos completando 100 anos de República. Nestes 100 anos, o Brasil teve 40 presidentes. Elegemos apenas 13 pelo voto direto. Os outros 27 foram nomeados ou chegaram ao cargo em substituição ao titular, legalmente ou através do golpe.
Será que muito da situação caótica que nos encontramos atualmente, não é consequência deste fato?
Agora após quase 30 anos, quando temos oportunidade de ir as urnas escolher o presidente, a situação é desanimadora. O descrédito na classe política é muito grande. Os causuismos continuam, está ai mais um candidato de última hora. Contudo, o momento é de reflexão e responsabilidade, principalmente para nós que fazemos parte de uma pequena parcela da população privilegiada que tem acesso a informações e condições de analisa-las.
A maioria de nós, estará votando pela primeira vez, portanto não temos que acertar de primeira. Acho até que vamos errar muito ainda. Votar e arrepender. Com o tempo a gente aprende.
(Isabel)

1989
Ano de crise, inflação, marasmo, descrença nos governantes, pessimismo. Chega-se ao final do ano e no memento brilha uma estrela.
Vamos dar as mãos, torcer, lutar, confiar e seguir a nossa estrela na esperança de dias melhores. Nós merecemos.
(Amelinha)

2 comentários:

Marcelo/Leri disse...

Bel, lembro como hoje: eu de Afif, Deraldo de Ronaldo Caiado e o resto de Lula ou Brizola; a estrêla de D. Amelinha só foi eleita 12 anos depois. Foi tempo de muita esperança mas de muitos erros.

Celia disse...

A estrela que brilha era, na realidade, um buraco negro... todos dois fenômenos naturais no Universo