segunda-feira, maio 23, 2016

Cinco ritos tibetanos – Parte II – A dúvida da dúvida

Relendo o meu post anterior dos cinco ritos tibetanos, me lembrei de mais um encontro com Geraldo, quando houve uma conversa surreal. 
Comentávamos sobre as mudanças que ocorrem nas nossas vidas, as certezas que temos quando somos bem jovens e as dúvidas que surgem com o tempo.  Então ele falou  da certeza da certeza, a certeza da dúvida, a dúvida da certeza e a dúvida da dúvida...

Ele deu os seguintes exemplos: Quando éramos jovens, alguns de nós,  tinham tanta certeza de tudo, tanta lógica, que escolheram estudar ciências exatas, área de engenharia, informática e afins. Era a época da certeza da certeza. Outros, porém, não tinham esta certeza toda, então preferiram ser profissionais liberais ou empreendedores. Estes que tinham dúvidas arriscaram  muito mais, tanto profissionalmente como na vida pessoal.

Com o amadurecimento, perdemos as certezas. Começamos a duvidar de coisas em que outrora apostávamos tudo. Por exemplo, se éramos ateus convictos ou se tínhamos fé inabalável, de repente já não temos tanta convicção. Surgem  questionamentos e as vezes angústia.  Segundo ele, se evoluirmos mais, finalmente chegaremos ao estágio da dúvida da dúvida, é quando se conclui que tudo é possível e não nos preocupamos mais com verdades ou fantasias, então nos tornamos zen.

Este papo maluco foi em 2008, agora acredito que ele chegou neste estágio. Mora numa casa na Base  Naval de Aratu, com 2 cachorros, alguns gatos e um monte de livros.  

Nesse último sábado eu e Fernando fomos visitá-lo e conhecer as máquinas da juventude que ele nos apresentou e demonstrou. Depois ele e Fernando conversaram uma hora sobre a produção e venda destas máquinas... Bem, vão vendê-las para o mundo todo... não importa se é verdade ou fantasia.

segunda-feira, maio 16, 2016

Paula & Elisa

Eu costumava postar quando as meninas faziam aniversario, mas vamos ficando todos ocupados, o tempo vai passando, e nada de post. Pois finalmente aqui vao noticias nossas (ja vou me desculpando, mas tudo sem acento).

Paula fez 5 anos em marco, e Elisa fez 3 anos em maio. Esse ano Paula ja vai para a escola em setembro (quando comeca o ano escolar aqui nos Estados Unidos), e por conta disso resolvemos mudar para outro bairro, que fica a uns 20 minutos do nosso bairro antigo. Se voce optar pela escola publica, voce tem que atender a escola de seu bairro; voce pode ate pedir para ir para outra escola, mas voce fica em fila de espera e nao tem nenhuma garantia que vai conseguir. Por esse motivo resolvermos mudar para um bairro com boas escolas. Nao foi (e nao esta sendo) facil - o mercado de imoveis e aluguel esta bastante aquecido em Seattle por conta de tanta firma de tecnologia vindo para a regiao. Demos oferta em duas casas mas perdemos por conta de ofertas maiores ja que as casas estao sendo vendidas praticamente em leilao, mas finalmente conseguimos comprar uma casa. Mas ainda queremos reformar a casa, e no meio tempo resolvemos alugar um townhome para ficarmos mais perto da escola de Paula que comeca em setembro. Uma correria, e ainda nem acabamos a mudanca por completo. Esperamos que a casa nova esteja finalmente reformada em torno de maio do ano que vem, dai mudamos em defitivo. A noticia boa disso tudo  e que foi muito facil vender nossa casa antiga, com uma semana no mercado recebemos tres ofertas.

As meninas estao otimas, fazem a maior mistura de ingles e portugues. Paula tem muito mais facilidade de se comunicar em ingles, mas ainda insistimos para elas falarem portugues em casa. Uma vez por semana elas dormem na casa dos avos e adoram. Sei que quando estao la rola pipoca, doce, video, e muita brincadeira. Bom para elas e otimo para nos tambem.

Continuo trabalhando na mesma firma de advocacia como paralegal. Eduardo ja passou de Microsoft para eBay e agora esta trabalhando numa startup, a Faira (www.faira.com). Trata-se de uma empresa onde voce lista sua casa para vender  no site deles e as ofertas sao feitas online, sem necessidade de agente. Como toda startup que se preze, tem muito trabalho e pouco recompensa (financeira, pelo menos).

Vontade de ir ao Brasil infelizmente eu nao tenho, nem para visitar. Meus pais moram aqui e Mariana vem todo ano. O irmao mais novo de Eduardo ja trabalha com ele na Faira (veio tambem com visto de trabalho pela Microsoft), e o irmao do meio vai se mudar para Vancouver, no Canada, em agosto desse ano (Vancouver fica entre 2-3 horas de Seattle). Acho que e uma questao de tempo ate os pais de Eduardo vierem morar aqui. A viagem para Salvador e longa, praticamente 24 horas de Seattle, pegando tres voos. Nao sai barato e quando chegamos ficamos com medo de sair na rua. Dai que quando chega inverno por aqui e estamos a fim de fugir do frio, optamos para ir a algum lugar com voo direto de Seattle - Fort Lauderdale (Florida), Los Cabos (Mexico), ou Hawaii. Paula ainda tem a certidao de nascimento brasileira, o que permite a ela tirar o pasaporte brasileiro para viajar, mas Elisa nem certidao brasileira tem. O passaporte pode-se tirar pelo correio, mas precisamos ir ao consulado pessoalmente para tirar a certidao de Elisa. O consulado mais perto e em Sao Francisco, e as poucas vezes que eles vem a Seattle em esquema de "consulado itinerante", nunca deu certo de tirar a certidao dela -uma vez mandei a papelada toda de antecedencia, como era requerido, mas chegando la eles tinham perdido minha papelada, ou nao tinham recebido, ou seja la o que foi, e sai sem certidao. Lidar com o "consulado itinerante" e sempre bom para relembrar os motivos pelos quais nao voltamos ao Brasil. Elisa tem o passaporte americano, mas precisaria de visto para ir ao Brasil, e para tirar o visto tem que ir ao consulado. Ou seja, tudo muito dificil, e a boa vontade aqui para resolver e pouca.

Aqui estao umas fotos das meninas - no aniversario de Elisa, na Pascoa, e quando fomos na Disneyland em abril.















domingo, maio 15, 2016

segunda-feira, maio 09, 2016

Enquanto isto...

E a crise se instalou no país desde que começou o segundo mandato da presidenta... empresas fechando, milhares de imóveis a disposição para venda e aluguel, milhões de desempregados, inflação, recessão, crise política. 

Aqui pela Bahia até São Pedro resolveu colaborar, os fazendeiros tristes com a falta de chuva e o preço da gado caindo...

Enquanto isto D.Norma, Dra Anete e Prof Diego só curtindo a vida em Euro...

Eu não morro sem ver Paris...




Dia das Mães

Vejam a primavera!



segunda-feira, maio 02, 2016

CINCO RITOS TIBETANOS

Conheci Geraldo quando estava na faculdade e fomos aprovados num concurso para nos tornar programadores. Trabalhamos juntos e ficamos muito amigos. Depois, eu permaneci na área de informática e ele preferiu ser engenheiro. Perdemos o contato cotidiano, mas ao longo destes anos de vez em quando, eu e Fernando nos encontramos com ele por puro acaso e  sempre foi marcante. 

A primeira vez, nos anos 80, ele nos contou de sua  “amizade colorida” com a própria esposa, isto é, cada qual vivia num apartamento e “ficavam” quando estavam a fim de ... No resto do tempo, total liberdade para ambos.
Depois se juntaram novamente e foram para Alemanha onde passaram 5 anos.
Nós nos encontramos posteriormente num Carnaval, na década de 90, e as filhas dele já eram adolescentes e para a nossa surpresa, a esposa dele bem liberal com as meninas e ele controlador, mas se justificou dizendo que antes ele era consumidor e agora havia se tornado um  fornecedor.

Já neste século, eis que encontramos Geraldo num Shopping e neste dia ele nos falou dos Cinco Ritos Tibetanos do qual ele era seguidor  há vários anos. São 5 exercícios antigos que eram praticados por monges tibetanos e que prometem mil maravilhas: saúde, equilíbrio de peso, flexibilidade, energia, disposição, sono profundo entre outros. O livro que ensina os exercícios foi traduzido aqui no Brasil como A Fonte da Juventude (Peter Kelder), título este que Geraldo achou inadequado. Na época comprei o livro e até tentei praticar, mas não fui adiante.

Recentemente eu e Fernando nos batemos com Geraldo numa Pizzaria e como sempre aquela festa, muita gozação e muita risada. E ele continua praticando os cinco ritos e falando dos resultados maravilhosos que ele sente. Ele que é engenheiro mecânico, desenvolveu e patenteou máquinas para a prática dos ritos, que segundo sua experiência, potencializam os resultados. 


Para quem se interessar pelo assunto:


quinta-feira, abril 28, 2016

Noticia triste



Registro aqui também os momentos tristes. Infelizmente Patricia Barreto (32 anos), filha de Jandira, faleceu esta madrugada em Aracaju.  Ela estava na UTI há mais de um mês e ontem foi submetida a uma cirurgia, devido a uma bactéria ter se alojado no coração.

segunda-feira, abril 18, 2016

Vida de vagabundo...

Isto é, vida de aposentada...

Baseada num evento que há na escola de Bia e Let nos Estados Unidos que durante um determinado tempo os alunos têm que ler tantos livros, correr tantos quilômetros e fazer boas ações, decidi há algum tempo estabelecer uma meta de leitura semanal para mim. Por que?...  esta tal de internet, se não tomarmos cuidado, ocupa todo nosso tempo e no final o que fica é muito pouco. No facebook ou whatsapp se olharmos todos os textos, ouvirmos os áudios e vermos todos os vídeos sugeridos... lá se foram minutos, horas, o dia inteiro.

Estabeleci uma meta de leitura de 200 páginas por semana o que não é muito, mas quando o livro é muito bom, dobro a meta rapidinho. Se por acaso não alcanço a meta analiso se houve algum impedimento ou se o livro é chato e simplesmente enrolei, motivo para eu abandoná-lo, 

Pelas manhãs passo 1:30h a 2:00h malhando na Academia. E para completar ganhei uma pulseira fitbit e agora estabeleci uma meta de quilômetros semanais, correndo ou andando. A pulseira marca seus passos e quilômetros diários e passa as informações para o celular, vibra quando a gente chega aos 10.000 passos por dia.  Incentiva. Agora penso em estacionar o carro mais longe, subir e descer mais escadas, enfim monitoro para alcançar a meta do dia. 
a Pulseira Fitbit

O que mais faz uma aposentada?... cinema, notícias, palestras no youtube. Outra atividade: dou assistência a meu pai, o acompanho para médicos e administro as finanças. Além é claro das tarefas domésticas. 



E para não deixar o blog morrer, decidi também colocar uma postagem por semana por aqui, independentemente se alguém lerá ou não.   As vezes apenas repasso fotos e notícias que recebo por WhatsApp. É uma forma de arquivar o que acho mais interessante.
====================

Relatório semanal do Fitbit que recebo por e-mail:

Hi Isabel B., here are your weekly stats.
Apr 11, 2016 to Apr 17, 2016
WEEK'S MOST ACTIVE DAY
Fri, Apr 15
WEEK'S LEAST ACTIVE DAY
Sun, Apr 17


TOTAL STEPS
68,879 
DAILY AVERAGE
9,840 steps
BEST DAY
13,047 steps
TOTAL DISTANCE
49.05 km 
DAILY AVERAGE
7.01 km
BEST DAY
9.78 km
TOTAL FLOORS CLIMBED
19 
DAILY AVERAGE
floors
BEST DAY
floors
TOTAL CALS BURNED
11,896 
DAILY AVERAGE
1,699 cals
BEST DAY
1,837 cals
WEIGHT CHANGE
0.0 kg
LIGHTEST
58.0 kgHEAVIEST
58.0 kg
AVG SLEEP DURATION
hrs 39 min 
AVG TIMES AWAKENED
13
AVG TIME TO FALL ASLEEP
--hrs --min

quinta-feira, abril 07, 2016

Toma lá, dá cá...

Na minha infância e inicio da adolescência em Conquista, eu frequentava a Igreja Batista, não por opção, mas por obrigação. A condição, imposta por minha mãe, para frequentar o cinema era ir para igreja. Não tinha internet, a televisão era precária, então o que tínhamos eram  cinema, livros, revistas em quadrinhos, discos e amigos.

Em termos de religião conhecíamos a Batista, a Católica, os Testemunhas de Jeová e o Espiritismo. Dos conhecidos como crentes ou evangélicos, além da Igreja Batista, havia também a Igreja Adventista e a Presbiteriana. Não havia esta horda de evangélicos que vemos hoje.
A Igreja Batista funcionava como um clube. As pessoas que eram batizadas eram Membros de Igreja (uma espécie de sócio do clube) e tinham a obrigação de pagar o dízimo. Na igreja havia um Gazofilácio (nunca esqueci este nome pois estava escrito em letras grandes brancas), uma caixa de madeira em formato de carteira de escritório com uma fenda aberta em cima onde os fieis colocavam os envelopes com o dízimo ou ofertas. Havia um envelope para cada tipo de depósito, onde o usuário colocava seu nome para identificação do depositante. O precursor do caixa rápido.
Entendia que aquele dinheiro era para fazer a igreja funcionar, óbvio. E em algumas épocas o pastor solicitava mais colaboração (Ofertas) e dizia para que finalidade, por exemplo, reforma na Igreja ou Campanhas de Natal para doação aos pobres.
Podia até não ser sério mas parecia ser...

Mais tarde com o surgimento de tantas religiões evangélicas e a chegada destas religiões à televisão, me surpreendi com Toma Lá – Dá Cá destas igrejas. Virou comércio com Deus. Já vi cenas da Igreja Universal em que o Pastor orienta os fieis fazerem seus pedidos escritos e colocarem uma quantia em dinheiro para receber a bênção solicitada.

Neste ponto vejo a semelhança do Toma Lá – Dá Cá da política. Sabemos que há e sempre houve negociações entre Partidos Políticos para aprovação das medidas no Congresso e Senado. Mas agora nem há mais disfarce. Escancarou. É uma vergonha!....


segunda-feira, março 28, 2016

Je suis Brasil!...

Há alguns anos vi um filme cuja história se passava na Iugoslávia, sobre dois amigos de infância, um  sérvio e o outro bósnio.  Após uma crise econômica na Iugoslávia começam  antigas rivalidades entre grupos étnicos e a guerra civil toma conta de Sarajevo. Todos são obrigados a lutar pela causa em que acreditam ou para salvar a própria pele e os amigos têm as vidas transformadas em um inferno.
O filme muito me impressionou e esta semana recordei o mesmo, devido a guerra no nosso país pelas redes sociais, com a crise que vivemos.

Tenho muitos amigos, pessoas inteligentes e esclarecidas que não dependem do governo,  que defendem Lula, Dilma e até o PT... 
Diferente do Fora Collor que eu me lembre, estávamos todos unidos, agora o país está dividido. Parecemos torcidas de futebol  que  discutem e brigam e ninguém convence ninguém a mudar de time.  E assim ódio se dissemina entre as torcidas, uma acusando a outra...As vezes vejo alguma coisa no facebook que acho absurda e não me contento, faço um comentário mordaz. Charges, desenhos ou imagens montadas com inverdades há dos dois lados.

Começo a ficar assustada.  Felizmente esta semana já apareceram algumas crônicas de jornalistas que pedem calma e  lembram que precisamos aprender a conviver com as diferenças, aceitar as pessoas que pensam o oposto de nós. Lobão fez uma carta aberta a Caetano, Chico e Gil em que declara o seu amor e os chama para um debate pacífico pelo Brasil. 

De minha parte, ocultei alguns amigos mais radicais no facebook para evitar colocar meus comentários desnecessários. Mais adiante os reabilito.  Por outro lado vou pensar um pouco mais antes de compartilhar determinadas coisas, mesmo que sejam engraçadas e criativas.  
   
Afinal, nós queremos a democracia e como já se disse por aí: toda unanimidade é burra!...


domingo, março 27, 2016

Mês de março - haja aniversariantes, haja festa!

Rose Any
Lara

Edinho

Andressa



















Pat

E tem mais: Robson, Hamilton Ipê, Leri, Paula Neves...

segunda-feira, março 21, 2016

Agenda da semana...

 Semana agitada. Igor, Rose e meninas chegaram no dia 11/março, depois de mais de um ano sem aparecer por aqui, na espera da liberação do green card.
Logo no sábado houve uma festa de comemoração do aniversário de Rose Any. Muito bom pois além de encontrarmos a simpaticíssima e festeira Familia Ramalho que só vemos quando Igor e família estão por aqui, também muitos amigos, inclusive, Zereu e Tania, tão queridos e que não víamos há um bom tempo. O cotidiano toma conta da gente e nos afasta das pessoas que gostamos, sem mesmo perceber.
Zeu, Igor, Rose, Tânia, Isabel

Célia e Ademário que  estavam na cidade, não puderam comparecer, o que foi uma pena, devido a um mal estar de Ademário desacostumado das iguarias baianas. E assim retornaram para os States na segunda, dia 14/03.
Letícia, Lara e Beatriz

Durante a semana, além das bombas diárias da política que cada dia mais nos deixa boquiabertos, vamos acompanhando a programação da turma. Na quinta-feira chegou Gilberto, no dia seguinte houve almoço festivo, a noite jogo de cartas com as meninas e pizza. E sábado para completar aniversário de Lara, que fez 2 anos. Festa simples e prazerosa reuniu familiares e amigos íntimos. E assim em vez daquela grande confusão que é festa de criança, tivemos oportunidade de bater papo tranquilamente e as crianças, em torno de 10, brincaram e se divertiram a vontade.

No mesmo sábado em questão houve o Casamento de Claudinha e Mauricio em Interlagos, para onde se dirigiu grande parte da família, que por esta coincidência de datas, não pude participar. Acompanhei pelo whatsApp, fotos e vídeos. Foi um festão!... Que algum participante deixe registrado por aqui.




segunda-feira, março 14, 2016

#vamosprarua


E nós fomos ...

Em Salvador



Em Conquista


Em São Paulo


No Rio de Janeiro

sábado, março 12, 2016

Trancoso - Teatro L'Occitane





História do Teatro – www.musicaemtrancoso.org.br
Muito antes de iniciar seus estudos na Universidade de Artes Aplicadas de Viena, o arquiteto François Valentiny já sonhava em visitar Brasília, que considerava a obra-prima de Oscar Niemeyer e o berço da arquitetura moderna no mundo. “Comparado com a Europa, o Brasil representava o novo. Eu nunca imaginaria construir um projeto aqui”, conta Valentiny.
“Mas a vida é cheia de surpresas”, continua. Em 2008, enquanto seu escritório finalizava o Pavilhão de Luxemburgo, seu país natal, na Expo de Xangai, ele viajou a Trancoso para visitar os amigos Sabine e Carlo Lovatelli, fundadores do Mozarteum Brasileiro, que organiza espetáculos de música clássica e contemporânea.
“No meio do paraíso, em uma noite mágica, conhecemos os donos da L’Occitane en Provence, Dominique e Reinold Geiger. Rapidamente percebemos que compartilhávamos aspirações e o amor por este país”, relembra Valentiny. Nascia o festival Música em Trancoso e, com ele, o Teatro L’Occitane, que abriga os concertos. Valentiny entrou com a arquitetura, a Mozarteum Brasileiro com a direção artística e administrativa e, a L’Occitane com o patrocínio.
Vale a pena entrar no site.





Música, Sol, Mar e Boa Companhia

TRANCOSO

Depois de anunciar várias vezes  o Festival Música em Trancoso, finalmente consegui participar deste evento e em boa companhia.

Pouco divulgado em Salvador viemos a ter conhecimento do evento através de Bete,  que por sua vez conheceu devido a Neusa, sua irmã , que é jogadora de golfe e participa dos torneios realizados na mesma época do festival.

Além da companhia das duas citadas, tivemos também Sandra e Eliezer.  Passamos 3 dias, vimos 3 espetáculos maravilhosos, passeamos em Trancoso, conhecemos Caraívas, uma praia da região. Participamos da premiação do Torneio de Golfe, do qual Neusa foi campeã.

Caraívas


O Festival dura 1 semana e cada dia um tipo de música. Vimos um concerto de música clássica no primeiro dia. No segundo, opereta, com um Barítono e uma Soprano austríacos. O terceiro dia foi dedicado a bossa-nova com César Camargo Mariano no piano e a cantora Madison McFerrin. Algumas músicas foram acompanhadas por músicos internacionais com violino, clarinete e flauta. Nos dias seguintes teria Jazz, Música de Câmara, Rock, etc

É claro que NÃO há um dia para axé!.. Vixe Maria!...

Sandra, Fernando e Eliezer na entrada do Teatro
Sandra, Neusa e Bete
Os espetáculos são a partir das 18:30h o que nos deixa liberados a partir das 21h, então todos os caminhos levam ao Quadrado, onde os turistas se encontram. É uma enorme praça com vários bares, restaurantes e lojas. Como nosso grupo não é de farra nos limitávamos a comer beiju, brigadeiro, picolés e depois o sono dos anjos. Durante o dia sim: alguns drinks e almoço. Por ser um recanto turístico com muita gente rica é tudo muito caro. 

PORTO SEGURO
Após sairmos de Trancoso, eu e Fernando, passamos 1 dia e meio em Porto Seguro, com Alan, Lílian e Daniel. Muito boa a recepção e atenção dos anfitriões, além da oportunidade de conviver um pouco com Daniel.

Irreconhecível  Porto Seguro, após 25 anos. Mesmo em março muitos turistas. Segundo Alan, o turismo aumentou muito por lá em 2015, devido a alta do dólar, muitos estrangeiros, como também brasileiros que deixaram de viajar para o exterior.

No Museu do Descobrimento... estamos na sombra...

Casa de Alan. Um arco-íris de brinde...
Enfim, tudo maravilhoso. Recomendo o Festival nos próximos anos para quem quer curtir uma boa música, ou jogar golfe (será???) e curtir as praias da região.