domingo, maio 24, 2015

momentos para recordar

Dupla de pescadores: Inocênci e Marcos

Um mimo: de Amelinha para Joana Rocha Viana

quinta-feira, maio 21, 2015

Nosso patrimônio histórico

Todo ano fotografo o sobrado de azulejos, na Praça Cairu,  que faz parte do conjunto histórico da cidade, junto com Elevador Lacerda, Mercado Modelo, Marinha,  enfim cartão postal de Salvador, e lamento pelo estado em que se encontra.  Além deste, na mesma região tem vários casarões antigos que também estão se deteriorando. Agora com tanta chuva na cidade, muitos que já estão em ruínas, ameaçam cair.
====================================

 Na Praça Cayru localiza-se a antiga residência do economista José Lisboa, O Visconde de Cayru. A fachada, toda revestida de azulejos, tem 70 janelões [...]. É o mais belo prédio azulejado que temos na Bahia. Como o Visconde de Cayru influenciou D. João VI para a abertura dos Portos e este solar serviu de ponto, entre 1807 e 1810, de reuniões entre exportadores podemos facilmente estabelecer que a idade destes azulejos remonta a esta época.        ((Knoff)

=======================================

Ontem no Jornal da Band, Boechat comentou que não só em Salvador mas em várias cidades do Brasil, ele citou São Luís e Olinda, está acontecendo a mesma coisa. Prédios que fazem parte do patrimônio histórico estão completamente abandonados. E não fazemos nada. Viajamos pela Europa e admiramos a arquitetura antiga de séculos de existência, completamente conservada.


Há alguns anos atrás, já no governo PT, surgiu um projeto que transformaria a quadra onde está o prédio de azulejos,  num Hotel Hilton. Claro que o sobrado com seus azulejos seria conservado. Não foi aceito. Nesta época li um artigo que dizia “Salvador, a primeira cidade a recusar um Hotel Hilton”.

Este total descaso faz-nos perguntar  “ e o IPHAN?” ... Ministério da Cultura? ... não tem dinheiro. Aliás, tem dinheiro para Lei Rounet, beneficiar os “companheiros”, shows, filmes, blogs, etc..  Segundo Boechat até verba para show de Madona no Brasil eles já forneceram. Não é questão de dinheiro e sim de prioridade.

Li esta notícia de abril/2015: “A Secretaria de Cultura e Turismo de Salvador anunciou que os quatro casarões que abrigariam o Hotel Hilton serão desapropriados. No local irá funcionar o Museu da Música, o Arquivo Público Municipal, além de outros espaços da administração municipal.
Os casarões antigos estão em ruínas e correm o risco de desabar. Após tentativas frustradas de negociação com os proprietários a prefeitura entrou com um processo em 2013 de desapropriação para dar um destino aos imóveis. O secretário, Érico Mendonça informou que os casarões passarão por intervenções, mas a arquitetura dos imóveis será preservada.”... Uma esperançazinha...
·         

domingo, maio 10, 2015

Dia das Mães

Duas mães que já não estão entre nós. Minhas tias (emprestadas), cunhadas de meu pai.
                   
Angélica, mãe de Anilza, Jussara e Saul. 
Ceci, mãe de Lucinha, Wellington, Verinha, Eraldo, William, Raniere e Ariadne.


Angélica e Ceci

Foto do acervo de Anilza.

Fofocas de maio


O fim de semana do feriado Dia do Trabalho, Ivan e Joana passaram no Rio de Janeiro, hospedados com a super anfitriã Anete Viana.
Joana, além de andar de moto-taxi com motoqueiro da Rocinha (tudo para não chegar atrasada ao show do britânico Ed Sheeran), ainda se aventurou de Parapente.

O Rio de Janeiro continua lindo e a turma fez caminhada no Morro da Urca.

Caminhada no Morro da Urca
 
Parapente
Mariana e Beto casaram e vão passar a Lua-de-Mel na Europa, e só soubemos devido a este final de semana. Isto é, eles que dividiam um AP com outros colegas que também trabalham embarcados, saíram da República para seu próprio ninho. Secretamente, há 4 anos atrás, ela comprou um apartamento no bairro da Tijuca que recebeu recentemente já tendo liquidado após venda do de Salvador. No entanto, preferiram morar em COPAcabana, e alugaram um neste famoso bairro.

Em Conquista, Mateus fez 7 anos em 5 de maio.  Este menino  vive intensamente seus ídolos, começou com Patati e Patatá, Michael Jackson, Luiz Gonzaga. Agora está na fase futebol tendo Neymar como ídolo.


E esta semana foi um suspense a cirurgia de Edinho, em Conquista, para implante de um Marcapasso. Felizmente tudo foi muito bem.
Foto do paciente pós-cirurgia



quarta-feira, maio 06, 2015

Read – Deed – Run

Leitura – Boas Ações - Corrida

Read-Deed-Run é um programa para crianças promovido pelos colégios, neste caso em Katy- Texas, o qual Bia participou.
Os alunos se comprometem com um programa de 26 semanas em que lerão 26 livros, realizarão 26 boas ações na comunidade e correrão 26,2 milhas. Começa em outubro e a cada semana os participantes se reúnem para discutir livros, orientação para nutrição, alongamento e corrida sob a supervisão dos professores e administradores do evento.
O programa termina em maio, quando os estudantes executam as últimas 1,2 milhas em uma "corrida" para ganhar t-shirt e medalha .

Bia chegando

Turma do Colégio de Bia



Além do programa em si já ser muito interessante, acredito ainda que é positivo para o aprendizado do planejamento e alcance de metas, além do espírito competitivo.

Aqui no Brasil pelo que ouço e leio por aí, um programa deste seria inviável, pois a base da educação aqui é a igualdade e o nivelamento é por baixo. Ninguém é incentivado ou repreendido, nem tampouco reprovado. As Boas Ações seriam consideradas trabalho do Menor e outras besteiras... E assim sempre vamos caminhando para trás...

E nas Olimpíadas quando a delegação americana aparece, a gente detesta, todo mundo parece antipático, os atletas chegam dizendo que vão ganhar tudo. E o pior, ganham mesmo...

Momentos do mês de abril

O Blog está desprezado, mas não está morto.

Vou documentando o que rola pelos whatsapp e outras notícias que chegam por aqui:


1. Aniversário de Joaquim em Conquista
Joaquim com os vovôs Edinho e Eliú e a vovó Noélia

2. Encontro de Chorinho em Salvador
 Robson Barreto e seu conjunto musical























3. Célia e Ademário foram passear  na Coreia do Sul e eis algumas imagens interessantes

Camarões

Carangueijo

Comprimidos personalizados


4. E o aniversário de Letícia em Houston, teve bolo na cara:














5. Passeio ao Onha / Nazaré

Flori, 93 anos, visitando o amigo Chiquinho, 95 anos

6. E para provar que Salvador não é só chuva... vejam que lindo dia no Porto da Barra.
Mauricio e Claudinha, Ana Paula e Ricardo



7. Outro belo momento do mês de abril - aula de crochet
Noelia ensinando para Nanda, Duda e Maju




segunda-feira, abril 27, 2015

Voltando a falar em duchas

Em julho de 2010 quando estivemos em Houston, colocamos uma postagem aqui sobre os problemas que tivemos pela falta da ducha higiênica e a solução encontrada. Mais adiante houve outras postagens sobre o assunto pois quem viaja pelo mundo e descobre curiosidades sobre banheiros e duchas postam aqui para a nossa informação.

Nesta primeira postagem,  quem quiser rever, eis o link:

de vez em quando surge um comentário de alguém que não pertence ao nosso grupo. Agora apareceu um comentário com a propaganda de uma ducha portátil semelhante a nossa solução citada e achei interessante. 

Vejam aí:


domingo, abril 12, 2015

Chuva em Salvador

A cidade de Salvador, como muitas outras no nosso país,  não é a prova de chuva, principalmente a primeira chuva do ano, quando as bocas de lobo estão entupidas.  Não sei se ocorre nas outras cidades, mas aqui o povo é muito pouco civilizado e o lixo nas ruas é coisa comum.
Quantas vezes vemos as pessoas abrirem os vidros dos carros e jogarem os resíduos na rua. Há pouco tempo, vi uma cena destas num carrão luxuoso  que estava a minha frente numa sinaleira. Quando tive a ideia de tirar uma foto, o sinal abriu e perdi a oportunidade.

Rua Ceará, Pituba - em frente a Academia

Que a cidade não é a prova de chuva, eu já sabia. Pior foi descobrir que meu carro, um New Fiesta 2014, também não é.
Quinta-feira quando estava na Academia, choveu torrencialmente por uns 50 minutos, vejam nas fotos, a situação que a rua ficou. Esperei a chuva parar a água baixar, pois sabia que não poderia abrir a porta do carro naquela situação e assim o fiz. Para minha surpresa o carro estava inundado. Mais tarde tiramos em torno de 3 baldes d´água.  
New Fiesta



Felizmente o carro ligou e não houve maiores danos, o problema agora é fazer o cheiro horrível desaparecer. No dia seguinte, levei o carro para lavar, aspirar e secar no Posto de Gasolina, o que melhorou um pouco.  Coloquei  desumidificador anti-mofo, deixando o carro aberto na garagem durante o dia e estou esperando o sol aparecer, para ver se o mal cheiro desaparece!...  Se alguém tem alguma dica...

segunda-feira, abril 06, 2015

Termo do Bom Viver

Numa família, a medida que envelhecemos  ficamos todos parecidos, ou parecidos com nossos ancestrais, tanto fisicamente como no comportamento.

Tenho observado que ao vivo, nem tanto, mas quando olhamos as fotos é que realmente vemos as semelhanças físicas entre um e outro. Um dia destes colocaram no Whatsapp uma foto em que estavam Norma, Janete, Jandira, talvez Noelia ou Lilian,   Anete comentou que estavam todas parecidas.
E os carecas? Fotos de Fernando, Edinho, Duda, Sérgio...  Se olharmos rápido não sabemos quem é quem...

E o comportamento? Agora falam que Sérgio está parecido com Inocêncio, Leo com Nelson, Edinho e Fernando com Zezinho Barreto e outros.

Fernando convivendo mais com Flori atualmente, já disse que eu pareço mais com Flori que ele com Zezinho.  As vezes eu mesma me acho parecida com Noemi, pois várias atitudes dela  que eu condenava,  agora repito ou dou razão. Enfim, como dizia Nicácia, “ninguém furtou nada, herdou”.


E por falar em Zezinho Barreto que tem a fama de brigão, Flori contou para a gente que certa vez num destes desentendimentos dele com os Benjamins, o entrevero foi parar num Juiz que no final passou para ele um documento: “Termo do Bom Viver” . Será que nessas semelhanças já tem gente precisando de um destes?  

terça-feira, março 31, 2015

Sobre a chegada dos carros e asfalto nas cidades


São detalhes que passam despercebidos e que após alguém citar algum evento vemos que realmente não pensávamos que já existiu esta possibilidade. Na época que começaram a surgir as rodovias, com carros que a velocidade máxima de 100 km (foto de velocímetro do FORD 1949), morriam muitas pessoas que atravessavam a BR sem nunca terem visto um carro e lógico, sem sentir nem a necessidade de olhar para os lados.


Quando minha mãe falou, vi o quanto isto é possível e que acontecia mesmo. Imagine, sem acesso a informação, sem televisão, no máximo tinham acesso a um rádio, a pessoa chegava na cidade e atravessava a BR116 sem olhar, mesmo a uma velocidade baixa, era impossível evitar o sinistro.

Isto ainda ocorre até hoje, pessoas que não prestam atenção e atravessam a rua sem olhar, inclusive crianças.

A evolução chega e fica, entra nas nossas entranhas e nos esquecemos o que passou para termos hoje esta malha rodoviária e carros cada vez mais sofisticados.



sexta-feira, março 27, 2015

Amenidades

O último fim de semana foi cheio de Aniversários...  Sábado teve comemoração de Andressa. Domingo Robson – 51 anos. 

E Lara que fez um ano e teve um bolo para os íntimos.
 
Iuri, Raissa e Lara


















A grande notícia da semana foi Diego. Passou num concurso e vai para França em setembro, passar um ano, ensinando Português, na Universidade, por conta do Governo Francês. Orgulho para todos!





Dizem que o  Outono chegou por aqui. Bem mais quente que o Verão, calor quase insuportável. Pra economizar água e luz tá difícil – haja banho e ar condicionado.

Lá pelo Hemisfério Norte quem chegou foi a Primavera e Célia compartilhou as Cerejeiras de Seattle. Lindas. 







Nossas estações se misturam e mesmo no Outono, há Quaresmeiras floridas em Conquista, de cores rosa ou lilás, cada qual mais bonita. 



E lindos cachos de Acácias amarelas em Salvador.




domingo, março 22, 2015

Serra propõe o “enxugamento” das atividades da Petrobras

Eu confesso que nunca estudei a matéria de privatização da Petrobras, por isso vou fazer uma exposição baseada no meu sentimento de brasileiro. Acompanho pela mídia até então, ano passado antes da eleição enviei um e-mail ao PSDB perguntando qual era posição deles no assunto Petrobras, não tive resposta, mas não criei caso, o silêncio também é resposta.

Pela minha experiência no mercado vejo que não precisa ser expert para perceber que nosso capitalismo é imaturo, não tem força e nem cultura de capital (acrescentando um último, e nem moral..) para enfrentar a ferocidade da concorrência internacional. Nossa saída à sobrevivência sem plena subserviência é recorrer às salvaguardas do Estado para a manutenção e proteção dos recursos nacionais e para manutenção de nossa soberania, se eu estiver errado, por favor, me corrijam. Temos tocado a coisa assim, vamos segurando até a pressão ser insuportável, não exatamente fazendo bons negócios, mas mantendo-se atraentes.

Serra vem agora com um discurso técnico motivado na questão moral para propor uma redução da participação da Petrobras no pré-sal, sinceramente em meio a confusão de movimentos contra o governo não sei de onde tirou a ideia de que isso é um caminho sensato a seguir para recuperar a empresa. Recuperar...? Diga-se de passagem que uma empresa de Petróleo com os ativos que tem, gera, além de tudo, energia para se levantar, ou seja, o "recuperar" precisa ser bem explicado. Esse é o pensamento comum que todo político deve ter.

Como ele é uma das cabeças pensantes da oposição e considerando que o Brasil passa muito mais por problemas político-morais que técnicos, técnicos no aspecto Petrobras, a proposta soa mais como oportunismo político do que como gesto de sensatez, haja vista que uma proposta de solução à problemática moral, diga-se de passagem, não é solucionável na conjuntura atual, a proposta dele é uma dissolução.

Ao invés de acalmar os ânimos e trazer o diálogo para o cenário, que tem sido difícil com o PT e vai ficar mais, Serra dá mais argumento pró-Lula do que realmente de oposição, pois a experiência da privatização não tem  retorno comprovado, pelo menos para o bolso do Estado, e Lula ganhou força ao defender o país, mesmo cobrando pedágio.

http://www.psdb.org.br/serra-propoe-revisao-no-modelo-pre-sal-e-o-enxugamento-das-atividades-da-petrobras/

Que romântico!... Túnel do tempo

Livro presenteado
Dedicatória













As fotos chegaram pelo Whatsapp, mas como gosto de documentar os acontecimentos aqui no blog, compartilho este momento. Dedicatória e presente de Amelinha para Arlindo em 1972

segunda-feira, março 16, 2015

Fim de semana feliz...

Cheguei em Vitória da Conquista, 5a.feira pela manhã, entreguei Flori pra Darlan e fui para  casa de Bete. Dois dias de mordomia e  conforto, e o principal,  o prazer da companhia, do bate-papo, do vinho, do relax.
Quaresmeiras sempre lindas em Conquista
Palmeiras imperiais do Jardim
Vista da casa de Sandra e Eliezer

Sexta-feira pela manhã consulta com  Dr René para revisão das articulações, felizmente só preciso fazer mais alongamento e não cometer excessos nas minhas atividades físicas. Final de tarde, mudei para casa de Norma. A noite já fofocamos com Naninha e Joaquim. Sábado saímos para almoçar  com Carla, Aninha, Bruno, Joana, Malu e uma amiguinha. Anamira e Sérgio estavam na fazenda.

Fernando chegou no sábado  a tarde e a noite, fomos para o casamento de Darlan e Karine. Eu, toda chique com maquiagem “by Naninha”... de preto apesar de não ser a roupa adequada para madrinha, mas só fui avisada na última hora, paciência. Bete me ofereceu um vestido lindo de cor nude, mas precisava apertar um pouco no busto e terminei desistindo. Fernando, contente da vida, pois o paletó que ele vestiu no casamento de Iuri, 2 anos atrás, ficou bom.
Darlan e Karine
os padrinhos

Domingo, 15 de março, nos concentramos na casa de Sandra logo cedo para acompanhar a passeata. O grupo, o qual denominamos de MCMT – Movimento Com Muita Terra, participou ativamente.
Os Com Terra: Sérgio, Eliezer, Sandra, René e Marilanda, e nós que não temos terra, mas somos das “elites brancas”  seguimos juntos. Fernando que não gosta de caminhar foi da Casa de Sandra até a Rio-Bahia, sem reclamar. O clima de Conquista ajuda muito, a gente caminha e caminha e não cansa. Na Rio-Bahia houve uma parada e todos cantamos o Hino Nacional. Eliezer e Sandra seguiram até o final nos Capuchinhos. 

Nós, voltamos para o almoço tradicional na casa de Norma com toda a turma, incluindo Lilian, Mateus e Vinicius. Faltou Anamira que foi fazer uma prova. 

Comentários e notícias sobre o movimento de protesto rolaram o resto do dia. A noite, eu e Fernando, visitamos o casais recém casados. Rinaldo, meu outro meio-irmão, casou-se com Gleica em Janeiro 2015 e esperam Davi para julho. 
Para completar, chegaram Edinho e Leo a noite.

Enfim foi um fim de semana muitíssimo bom!....

Bete e o neto Bernardo de camisas pintadas por eles

Eliezer, Sandra, Bete, Sérgio, Isabel e Bernardo
René e Fernando

Fernando, René e Sérgio

domingo, março 08, 2015

Leila Dias - 60


Há 20 anos atrás fomos a uma festa de aniversário inesquecível de Leila – 40 anos. 
Leila é música, professora da UFBA e sua casa sempre foi cheia de músicos. As filhas também herdaram este amor à música e duas trabalham na área. Amélia é professora na Faculdade no Rio Grande do Norte e Aurora trabalha no Rio de Janeiro em teatro musical e atualmente faz parte do elenco do Musical ELIS. Só Alice, a mais velha, não é da área, formada em Administração Hoteleira, mora e trabalha no Rio de Janeiro. 

O tema da festa dos 40 anos  foi Anos 60, as meninas eram ainda adolescentes e fizeram várias apresentações e no final caímos todos na dança, twist e rock’nd roll.

Ontem o tema era Cigana. Logo na chegada, toda mulher recebeu um véu.  A festa foi chique e tudo estava maravilhoso. As três filhas que hoje já são casadas estavam com vestidos de mesmo modelo em cores diferentes. A aniversariante com vestido do mesmo estilo, porém comprido e de outra cor. Houve uma apresentação de slides da vida de Leila, desde criança até os dias atuais, com músicas referentes a cada fase.
Depois cada filha cantou uma canção dedicada à mãe. Antônio Dias também cantou com uma das filhas. Em seguida as duas filhas de Míriam deram um show de dança do ventre que encantou a todos. Alguns alunos tocaram e cantaram e no final todos dançando com um coreógrafo. Linda festa.


Para nós particularmente vale ressaltar a oportunidade de encontrar com tantas primas: Vandete, Nalva, Mírian, Neuza, Eliane, Bete, Inês e Mônica e conhecer algumas filhas. Um pouco de nostalgia dos tempos de Conquista, lembramos de tia Amelinha especialmente pelo Dia Internacional da Mulher em que coincidentemente foi a data que ela partiu há 14 anos atrás.

Aurora, Amélia, Alice, Leila e Antonio com a neta, filha de Amélia.

quinta-feira, março 05, 2015

Crise

Não existe uma pior crise. A crise é como uma dor e a pior dor é aquela do momento”

Só se fala em crise... hídrica, eletricidade, Petrobras, etc. Atualmente vejo 3 jornais a noite: Band com Boechat,  o tradicional JN e em seguida o Globo News em Pauta que gravo. Este último é muito bom porque as notícias são comentadas por jornalistas.  Tem ainda Revista Veja e Internet. Sem falar no besteirol do facebook que não podemos confiar...
Com tanta notícia, sem querer a crise toma conta de nós. Vem a preocupação, a agonia, a desesperança ...   Agora já estou atolada até o pescoço nesta crise, então li um texto que um ex-colega colocou no face:

Não deixe o vírus da crise se instalar na sua cabeça. (Anibal Viegas)

Pensei. É isto aí!... Já passamos por tantas, governo militar, hiperinflação, impeachment de Collor, mensalão.. Agora não é uma marolinha, mas é só mais uma MAROLA...

E ainda tem as crises pessoais. Lembro-me na época que trabalhava no Banco Econômico e este foi interditado. Passamos vários meses sem saber o que aconteceria. Situação difícil. Um dia o pessoal do RH resolveu promover umas palestras internas para amenizar o clima. E tivemos uma ótima palestra sobre Crise em que abordava todas as fases:

A primeira fase é a da negação e de isolamento. A pessoa pensa: "Não é possível que isto tenha acontecido comigo".  Na segunda fase a pessoa fica com raiva. No caso de uma doença, com raiva de Deus; na perda de um emprego: raiva do patrão e na perda de um relacionamento: raiva do parceiro.  A terceira fase é a da barganha: fazer promessas para se curar, ver o que pode extrair da empresa, com a demissão, ou ver o que pode ser resgatado no namoro.     A quarta fase é a da depressão, o fundo do poço.   E a quinta fase é a da aceitação, a porta de saída da crise. É deixar o velho morrer e ingressar, de braços abertos, no novo. 

O palestrante recitava uma poesia para cada fase da crise. A primeira fase foi o Soneto da Separação de Vinicius. “De repente do riso fez-se o pranto, silencioso e branco feito a bruma...”. 
E teve poesia de Fernando Pessoa, de Manuel Bandeira, de Cecília Meireles.
No final da palestra ele disse o seguinte, se chegar um momento na crise que você se sinta desesperado e não tenha nada a fazer: Reze!... Mesmo que você não tenha fé. Rezar relaxa o corpo e a mente e com certeza você se sentirá melhor.

Inesquecível esta palestra.

quinta-feira, fevereiro 26, 2015

MANDALAS

Há uns 2 anos, uma amiga me ofertou um livrinho com mandalas para colorir.

“ A mandala é a FORMA mesma da VIDA, do crescimento a partir de um ponto nutritivo que proporciona energia ao conjunto. É a imagem do constante ir e vir entre o interior e o exterior, do movimento vital de todo ser, que oscila entre a expansão e a volta ao centro para encontrar nele a fonte. É a força centrífuga, que estimula a criança a explorar seu próprio “eu”, e a força centrípeta, que devolve ao adulto a introspecção” (texto do livro Mandalas de Bolso.

Comecei a colorir e não parei mais. Comprei  mais alguns volumes da mesma coleção e me viciei. Fernando disse que é trabalho para quem não tem o que fazer, (vagabundo, no bom sentido, aposentado).

Eu estudo inglês pela Internet e no meu curso, o importante é ouvir e entender. Ficar só escutando, dá sono, então fico colorindo e ouvindo os textos... É uma terapia..

Agora descobri que tem um novo livro de colorir para adultos O Jardim Secreto. Virou uma febre na Internet.. Mulheres de todas as idades, colorindo e expondo no facebook.


Minhas mandalas estavam escondidas. Já comecei colocar no face...  
Li que os monges no Tibet passam dias pintando mandalas e fazem verdadeiros trabalhos de arte. No final, destroem, para praticar o desapego.. Ainda não cheguei nesta fase. Estou cheia de apego...