quinta-feira, junho 25, 2015

São João

Em Vitória da Conquista, quando eu era criança,  o São João era uma data marcante, pois minha amiga Vane Leto aniversaria em 23 de junho e sempre era uma grande festa em sua casa, com fogueira e tudo que tínhamos direito. Nossa família de formação batista nunca fez fogueira. Antônio Leto era muito animado, comprava um bocado de fogos que distribuía generosamente para todos os convidados.  E ficava de olho, nos instruindo, preocupado para a gente não se queimar. Além disto, fazia  exibições dos fogos mais sofisticados, que nos deixava embasbacados.

Salvador sempre fica deserta nesta época. Ao longo dos anos, nós, algumas vezes passamos São João no sítio de Nelson em Arembepe. Talvez Dias D' Ávila quando Célia morava lá. E muitas vezes Jaguaquara, isto é, Fazenda Paris. À noite, os mais animados iam para as festas na cidade, enquanto outros preferiam jogar biriba. Hoje esta festa se espalha por várias cidades no interior, mas há o modismo, a cidade da vez, Ibicuí, Amargosa, Cruz das Almas, Bonfim, entre outras. Atualmente com o número de forrozeiros, sertanejos e axés, tem festa em tudo que é canto.

Vanessa, filha de Ivana, também nasceu em 23 de junho e quando ela fez um ano em 1993, fomos todos para Bonfim para a festa. Houve uma sessão de nostalgia pelo whatsapp esta semana  lembrando deste evento, que foi muito bom. Bonfim tem tradição de espadas e é um show a exibição destes fogos de artifícios.

E agora no dia 23/06/2015, nasceu Davi, filho de meu meio-irmão Rinaldo, prematuro, está na UTI Neonatal, e a gente aqui torcendo para que tudo dê certo.


O São João 2015 foi  atípico, ninguém se reuniu, na verdade a turma se espalhou por aí:

Lilian e Naninha em Coquista


Robson e família viajando para SP

Leo em Itaquara
Casa de Alan em Porto Seguro




Os Vianas foram para Porto Seguro.

Daniel e Malu
Selfie da galera na festa



Ana Paula e família curtindo frio em Buenos Aires

Sitio de Márcio em Arembepe




















Ivan e Joana foram para São Paulo. Luciano para o Rio. Iuri para Itabuna. Noélia e Ivana em Salvador.

E Three Hills ficou triste. Ninguém apareceu. Eu e Flori desistimos na véspera. Edinho esperando Cristiano que ficou em Conquista. Lucinha esperando Zezinho em Jequié. Fernando voltou pra Salvador e Janete se mandou pra Conquista...

E viva o São João!...

3 comentários:

eleusa disse...

Tenho muitas recordações do São João daquela época. A fogueira, os fogos, o licor de jenipapo.
Arnóbio sempre comprava fogos e Carmélia fazia uns saquinhos de pano com alça que pendurávamos no pescoço. Tempos depois, quando mudamos de Conquista, em época de São João, vinha na minha memória aquele saquinho pendurado no pescoço cheio de fogos e eu tentando acender um deles na fogueira. Só existe uma explicação para eu não ter subido pelos ares. Meu Anjo da Guarda. (Ah!!! Ele existe).

Fernando disse...

Carmélia queria eliminar a prole,não deu certo.

São João sempre foi uma festa com muito problema,comida,fogueira,bebidas ruim é muito pobre.

Fernando

Anônimo disse...

Obrigada pela lembrança da minha festa de São João em Conquista. Você e Bete me deram um presente por lembrar disto,fico muito feliz !!!!!
Vane