segunda-feira, fevereiro 03, 2014

Para não dizer que não falei de filmes

Cinéfila que sempre fui  pensa(va) “lugar de filme é no cinema”, mas a cada dia sinto que  forças nada ocultas estão me empurrado para fora das salas de cinema.
Grande parte da indústria do cinema está dirigida aos filmes de ação, monstros sobrenaturais, super-heróis, vampiros e magias. Tudo muito voltado ao público videogame. Não é a toa que o meu crítico de cinema favorito escolheu a última temporada do seriado Breaking Bad como o melhor filme de 2013. Realmente, as séries da TV americana estão superando os filmes. Eu já estou viciada em algumas.
Quanto aos filmes brasileiros, a maioria que tem feito sucesso é comédia besteirol, gênero que também não curto. Sobram-me os filmes europeus, argentinos e de outros países que chegam aqui esporadicamente.
Além do mais há aquela velha história da falta de educação do povo no cinema, que fala alto, faz barulho, atende celular, mas continuo resistindo, embora já esteja vendo filmes pelo Netflix.

Então eis aqui os que considerei melhores de 2013, só os vistos no cinema:

DJANGO LIVRE

“Django é um escravo liberto cujo passado brutal com seus antigos proprietários leva-o ao encontro do caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz Schultz está em busca dos irmãos assassinos Brittle, e somente Django pode levá-lo a eles. O pouco ortodoxo Schultz compra Django com a promessa de libertá-lo quando tiver capturado os irmãos Brittle, vivos ou mortos.” (Sinopse de site de cinema)
Sou fã dos filmes de Tarantino, vi este duas vezes.



BLUE JASMINE - Depois de tudo na sua vida se ter desmoronado, incluindo o casamento com um rico homem de negócios, a elegante Jasmine, uma mulher habituada à vida social de Nova Iorque, muda-se para o modesto apartamento da irmã Ginger, em São Francisco, para se tentar recompor de novo. Filme de Woody Allen sou sempre fã. Cate Blanchet faz o papel principal e concorre ao Oscar 2014.




 CAÇAum drama dinamarquês, ambientado numa cidadezinha, em que o professor  do jardim-de-infância é injustamente acusado de pedofilia e passa a ser alvo de perseguição por toda a comunidade. O público sabe da inocência do professor, mas não as pessoas da cidade, então o filme é bastante angustiante, pois quando nos colocamos no lugar das pessoas, pensamos que provavelmente agiríamos assim também.





ANTES DA MEIA NOITE -  terceiro filme de uma sequência, o primeiro Antes do Amanhecer (1995), o
segundo Antes do Por do Sol (2005). Os três filmes são com os mesmos atores, no primeiro eles se conhecem numa viagem a Viena. No segundo se reencontram em Paris, 10 anos depois. Neste, eles estão casados há 10 anos. Se os dois primeiros são bem românticos, o terceiro é mais “discutir a relação” que romance, acho que não agrada aos homens. Ver este filme sem ter visto os anteriores talvez não seja tão interessante. Algumas pessoas saíram do cinema na metade do filme...




                                 
                                  OS SUSPEITOS 
Um pai de família vai até as últimas consequências para encontrar o responsável pelo desaparecimento de sua filha e de uma amiga da menina. Quando suspeita que o detetive encarregado das buscas já desistiu de procurar pelo culpado, este pai desesperado começa a desconfiar de todas as pessoas ao seu redor. Fazendo sua própria investigação, ele encontra o principal suspeito e decide sequestrá-lo.



Gostei também de:
Serra Pelada, Capitão Phillips, Gravidade, Flores Raras, Trem noturno para Lisboa.

7 comentários:

Anônimo disse...

Bel,

Bom post, aqui vai meus comentarios.

So assisti 2 dos filmes que voce listou. Achei Django bom mas os outros de Tarentino sao melhores. Nao gostei de Capitao Phillips, aqueles caras discutindo seus direitos e besteirol no meio de um sequestro me deu desespero, queria entrar na tela e bater em alguem.

Eu acredito que nossa sociedade passa por fases criativas e conservadoras a cada 50 anos +-. Nas decadas de 60 e 70 foi feito muita coisa boas em filmes e musica, depois a qualidade caiu. Esta visao pode ser eu como dinousauro, justificando que eu so escuto Rolling Stones e Bob Dylan, etc, etc.

Porem se eu estou me justificando e problema meu. Se eu escutar algo que me salte ou veja um filme marcante, otimo, se nao fico reciclando as coisas velhas. Nao me sinto obrigado a gostar das coisas novas.

Lula (dasequacao)

Anete disse...

Destes só não assisti Django.
Mas tem muito filme bom, principalmente francês.
Fui assistir Nifomaníaca e gostei.
A Grande Beleza muito bom tbém.
Gostei do Capitão Philips, mas a história é bem fraca, fiquei morrendo de pena dos sequestradores.
E por aí vai.

Bel B disse...

E por falar em filme antigo vi Farenheit 451, recomendado por Igor. Gostei tanto que li o livro também. O filme é de 1966 do aclamado diretor francês François Truffaut. Igor havia comentado que deveria haver um "remake" deste filme, e eu concordei... Alguns filmes antigos são assim, a gente fica imaginando uma versão nova com toda tecnologia disponível atualmente.

A obra prima de Tarantino pra mim é Pulp Fiction, imbatível. Mas para mim todos os filmes dele são ótimos.

Bel B disse...

Adorei Ninfomaníaca e já estou ansiosa pela segunda parte. Lars Von Trier é outro diretor imperdível para mim. Não citei este por já ter visto em 2014.
Estou aguardando A Grande Beleza...

Anônimo disse...

Bel,

Voce esta entrando na classe dinoussauro comigo. Farenheit 451 e fora de serie, eu vi na decada de 70 nos Estados Unidos mas me lembro com detalhes ate hoje.

Lula (dasequacao)

Anete disse...

Não tinha lido o "Gostei também...". Não vi nem Serra Pelada, nem Gravidade e nem Trem Noturno para Lisboa.

Bel B disse...

Para quem se interessar Farenheit 451 tem no Youtube, completo.