quarta-feira, junho 26, 2013

São João na Fazenda Itapoã

Olá, caravana.

Viajantes somos, não é mesmo? Pois então? Neste São João uma tropa boa foi para a Itapoã: Noélia, Califa, Lilian, Mateus, Robinho, Janete, Maria Júlia, Felipe, Naninha, Joaquim, eu e o Isaac.
Tivemos bons dias por lá. Além da memorável comida gostosa da Noélia e da Xinha, da cachaça
boa do Califa, as crianças estavam encantadoras.

                     

Mas houve outros eventos memoráveis. Os três mosqueteiros, Felipe, Isaac e Robinho foram pescadores incansáveis, indômitos, voluntariosos, etecetara , e gozaram de grande sucesso nesse ramo. No almoço do dia 24 teve nada mais nada menos do que um tambaqui de cinco quilos e meio que eles pescaram.  Querem ver? Olha só o tamanho do peixe!



Ah, gente, teve uma fogueira enorme já no dia 22.               
Como diria o Califa era uma fogueira de lascar.
Mas a fogueira do dia 23 merece destaque. Na
verdade, não a fogueira, mas a confecção da dita cuja.
Eu contei que participei da confecção em três designers.
Primeiro, eu e a Janete fizemos uma, depois me lembro
de ter começado outra com a Lilian em outro canto, e no
final das contas eu e a Lilian refizemos a pequenina
fogueira no primeiro local, mas a Noélia capinou com a
enxada e a Xinha usou ancinho, pá, tudo pra deixar o local mais bonito. Pois só para não esquecer, eu coloco uma foto desta singela fogueira, que tão arretada queimou a noite toda mesmo debaixo de chuva.  


Quanto a mim, .... kkkkkk  teve velha aprendendo a     
andar de jegue. Depois, é claro, subi na vida: mudei da jega para aprender a montar cavalo, afinal, a gente tem mesmo que procurar subir na vida, não é mesmo?
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
Obrigada, minha gente boa e amiga, pelo São João maravilhoso. Um abraço forte a todos vocês. 
 
E por fim, penso que se duas gerações de seres humanos combinam lindamente, estas são a infância e a terceira idade. Para além da imagem, houve um longo bate-papo entre os dois aí embaixo.  
 

 
                            

4 comentários:

Anete disse...

Poxa, aqui no Rio nem tem feriado de São João. Nem tem São João. :(

Bel B disse...

Que figura, essa Tereza!... montada num jegue!... rsrs
Adorei texto e fotos.

eleusa disse...

Tenho muitas saudades das fogueiras da minha infância. Também aqui em Sampa nem se ouve falar. Sinto que meu neto está crescendo sem ter contato com as farras gostosas do São João, sem ter visto nenhuma fogueira, a não ser aquelas de enfeite de lojas. Quem sabe ainda o levo para um São João por aí.

Anete disse...

Aqui no Rio não tem São João, mas há várias festas comemorativas. Fui ao São João da obra do Porto do Rio, só faltou a fogueira, tinha canjica, munguzá, milho cozido, paçoca e forró pé de serra. Também tinha churrasquinho de gato e salsichão, pizza, pão de queijo, etc...rs.. Aqui falta o amendoim cozido.
E ontem, fui na periferia para uma festa de São Pedro com direito a fogueira, forró pé de serra, milho cozido, churrasquinho de gato e salsichão e para completar no final colocaram música de Gil e música baiana, dancei muito.
Sempre digo que o Rio é o quintal da Bahia e vice-versa. #cadavezmais apaixonadapelorio