sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Um livro, um filme

Um livro: "1822 - Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram D.Pedro a criar o Brasil - um país que tinha tudo para dar errado", do jornalista Laurentino Gomes.

O meu conhecimento de História do Brasil é do século passado, do tempo em que Ensino Fundamental se chamava Curso Primário e Ginasial, então achei a leitura de 1822 encantadora. Navegando por sites e blogs, li que grande parte dos historiadores condenam este tipo de livro de história escrito por jornalistas, acham que é superficial em relação a história clássica. Para mim que dificilmente leria um livro de história tradicional foi ótimo,  recomendo para quem pensa assim. É uma reciclagem, com uma visão bastante diferente daquela que aprendíamos na escola. E otimista pois como diz o texto acima do próprio autor – “um país que tinha tudo para dar errado”. Deu certo, estamos aqui.



Um filme: Lixo Extraordinário (Wast Land) – Co-produção brasileira concorre ao Oscar de Melhor Documentário. Em cartaz na cidade.
Quando alguém me perguntou se eu sabia alguma coisa de um filme sobre o lixo, que iria concorrer ao Oscar, eu ainda não tinha ouvido nada sobre o assunto... e terminamos comentando que como dizia Joãozinho Trinta “quem gosta de pobreza é intelectual” . Não é o meu caso, portanto estou fora!...
Depois vi  rapidamente na tv, um comentário sobre o documentário: algo que ligava lixo a arte, fiquei curiosa e fui conferir. Maravilhoso.
O filme é sobre um trabalho social que o artista brasileiro Vik Muniz, radicado no exterior, fez com os catadores de lixo no Rio de Janeiro, no lixão do Jardim Gramacho, situado na Baixada Fluminense. De inicio parece um pouco pretensioso, mas a medida que vamos vendo os depoimentos destas pessoas, as condições em que vivem e finalmente o desenvolvimento dos trabalhos artísticos, realmente tudo muito convincente e mostrado com muita sensibilidade. Emociona.
Enfim, vale a pena ver e torcer pelo Oscar...

3 comentários:

Anônimo disse...

O livro eu li, e como o 1808 do mesmo autor é fantástico.

Igor

CB disse...

Acho que recomendar livros é uma das funções mais nobres deste blog, eu tinha pensado eu fazer um blog só para isso, para livros e filmes, tal a dificuldade de se saber o que ler ou assistir quando entramos numa livraria ou na locadora, é um garimpo, recomendo a todos que coloquem suas pepitas por aqui.. Abs.

Alessandra disse...

Oi, Bel! Sempre tive vonatde de comprar esse livro, mas ficava com receio de ser uma leitura cansativa, maçante. Agora com certeza irei adquiri-lo. Abração