domingo, junho 18, 2017


Confissões de avós

Hi Man, Mulher Maravilha, Trapalhões, entre outros, foram heróis de Nara e Mariana, minhas filhas, no final da década de 1980. Era sagrado assistir Hi Man no sábado pela manhã no programa da Xuxa, e os Trapalhões no domingo à noite. Quando era lançado um filme dos Trapalhões ou da Xuxa, Amélia, minha mãe, a avó, rapidamente programava sua assistência. Algumas vezes, saiam de Dias D’Ávila, de ônibus, direto para o Shopping Iguatemi, retornando à tardinha; outras vezes, já estavam todas em Salvador, prontas para a ocasião.

Um dia, na minha petulante intelectualidade própria de adultos, perguntei à Amélia como ela tolerava assistir estes filmes. Ela, com um enigmático sorriso, muito discreto mas contente, disse-me que geralmente dormia durante o filme.

Sofia, Octonauts, TinkerBell, entre outros, são os heróis de Paula e Elisa, minhas netas, praticamente trinta anos mais tarde. Em geral, elas dormem em minha casa no final de semana. Após o jantar e o banho, sentamos as três, bem juntinhas, no sofá, para ver a última sessão de vídeo do dia. Confesso que, muitas vezes, procedo como Amélia: dou um delicioso cochilo durante a aventura da interesseira sereia Marina, desejada como um apetitoso jantar por Zig, uma hiena, mas adorada e protegida por um tubarão, Shark, ou então nas aventuras dos poneys de Equestria e o dragãozinho Spike.

Atualmente, o local preferido de Paula e Elisa é a casa da vovó, principalmente pelas sessões de vídeo acompanhadas de pipoca. A sessão final do dia é uma ocasião especial para mim, quando estou inteiramente disponível para participar. Sei que esta atividade é temporal; em algum tempo mais, Paula e Elisa não terão mais vontade de assistir vídeos destes heróis e, talvez, nem queiram vir para a casa de vovó. Mas, enquanto isto acontece, confesso que estou muito contente por ter a oportunidade de participar destes momentos especiais com minhas netas, divertimo-nos muito, sem existir a diferença de gerações.

E os cochilos? Ah, os deliciosos cochilos fazem parte do momento. Sempre me lembro do sorriso travesso de Amélia, quando me contou como assistia a estes filmes. Tenho certeza, assim como eu sinto hoje, que ela não trocava por nenhum outro programa.

3 comentários:

Bel B disse...

Que legal Célia. Aproveite bem essa época porque passa rápido... Bia e Let chegaram essa semana para as férias e já estão entrando em outra fase... A gente aqui tem se divertido com Lara (3 anos), que passa 3 dias na semana aqui em casa, fã de Moana e Maui. E das princesas de Frozen...

Fernando disse...

O nosso lado infantil e nobre,dona nicacia,Amélia,Noelia,norma é agora chega na nova geração.

Parabéns a sua descoberta,CURTA BASTANTE.

BEIJO

Fernando

eleusa disse...

Acho que as avós são todas iguais. Qual a avó que não vai ao cinema assistir aqueles desenhos horríveis e dorme a maior parte do tempo? Parabéns Célia vc conseguiu retratar bem essa nossa fase.