terça-feira, agosto 23, 2016

TIAMELINHA

Velocípede novo, Dida, Vó Nicácia
Cão latindo, vento frio
Muito frio! .. E o
Quintal da casa de
Tiamelinha
Floresta cheia de onças
Sacis, “cobóis” e até assombrações
Eles, como as mangueiras do quintal
Surgem do nada, pedaços de felicidade
Soltos na memória que voltam
Mais presentes que quando vividos
Que alegram, que entristecem e
Trazem à tona coisas antes tidas
Como normais, como a amizade,
A verdadeira amizade!.. Coisa rara!..
Vento frio, bule com café com leite,
Irmã mais velha, pé de moleque,
Vó Zulmira, frio, muito frio...,
Saudade dos que foram..., Vontade
De voltar..., vontade de chorar....


Nando da Costa Lima
(filho de Altamirando Costa Lima)
(poema escrito em 2001) 

2 comentários:

Bel B disse...

Adorei este poema de Nando. Leio e releio, lembra tão bem cenas da minha infância!...

Mariana disse...

Que lindo... palavras em forma de emoções! ;)