quinta-feira, agosto 01, 2013

VOTO NO PT (II / III)



Cada um dos presidentes republicanos, no Brasil, realizou trabalhos que resultaram em desenvolvimento do País, com reflexo na melhor qualidade de vida do brasileiro.
Getúlio Vargas, com seu PTB, instituiu direitos do trabalhador urbano. Juscelino avançou na corrida para a implantação de indústrias, além de promover a ocupação do Brasil central. FHC encerrou a corrida inflacionária.

Presidentes, e presidentes que se antecederam ou sucederam, cada um em seu tempo, realizaram o bem e mal para o país. Porém sejamos otimistas e, imbuídos do sentimento de natividade, de civilidade, atinemos para o lado positivo quanto à iniciativa do PT de chamar atenção para a base da pirâmide, com providências que levaram ao combate à dispersão social.

Assim como começou com as primeiras providências de GV, hoje o trabalhador rural já conta com direitos instituídos pelas Leis Trabalhistas. A empregada doméstica, hoje, além de salário e outros direitos, conta com direito a férias e até o recebimento por horas extras trabalhadas. Isso, a partir do primeiro passo dado por GV.

Chamar atenção para a base da pirâmide, como fez o PT, correu pelo mundo afora. O PT, entre outras medidas em favor da população de baixa renda, aumentou o poder aquisitivo do salário-mínimo, melhorando o padrão de vida de milhões de brasileiros. Desagradou à classe patronal, pois esta, por herança que vem dos velhos tempos, não simpatiza com a idéia de pagar salário para quem se encontra diretamente na fonte de produção, como acontecia no período colonial e imperial escravocrata, o que durou quase quatro séculos no Brasil.

Nos países devedores ao FMI, este estabelece o congelamento de salários como um dos meios de combate à inflação. O brasileiro passou um longo período sob os desígnios do FMI. Este foi retirado do caminho, o salário-mínimo cresceu.
O fato de levar pelo mundo afora providências no combate à miséria, em que se encontram grandes populações, indica o caminho acertado e capitaneado pelo PT.
Com essa providência, destaca-se o PT.

Nilson Andrade Barreto

3 comentários:

Anônimo disse...

Nilson, grande post. Concordo com voce plenamente, e interessante que cheguei neste ponto por caminhos diferentes.

Duas coisas a adicionar. A nossa aristocracia falida ( eu inclusive) vivemos procurando desculpas para o nosso atraso. A primeira causa que achamos e corrupcao. Porem a corrupcao em si e um custo que pode ser pago. A Indonesia de Suharto era corrupta mas eficiente. Tambem, Portugal e corrupto e ineficiente ha quase mil anos.

Tambem o despertar do Brasil para cuidar das massas nao e um fenomeno isolado. Veja o documentario "South of the Border" de Oliver Stone. Cuba, Venezuela, Bolivia e Argentina tiveram movimentos similares. Em todos estes casos, a mudanca resultou da preguica e incapacidade da classe media e mais altas.

Lula

CB disse...

TEM COMO NÃO VOTAR NO PT? I
Ao observar o cenário político brasileiro, principalmente os últimos 20 anos, vejo o quanto fomos ingênuos ao imaginar que a coisa hoje fosse tomar um rumo diferente.
Alguns podem até tentar (mostrem aqui se souberem de alguma), mas desconheço uma única ação RELEVANTE, alcançada neste período recente pós-ditadura que não seja motivada pelo ganho financeiro e pessoal dos gestores ou pela sustentação de poder, digo mais, com exceção destas duas, existem ações isoladas de sustentação das faixas limítrofes da insatisfação, estas em especial, consequentemente quando não controladas, ferem o maior ativo do governo popular, que é a sua popularidade, e por isso as vezes nos enganamos sobre aquilo que associamos ao que “foi quem fez alguma coisa”.
Agora não se preocupe em diferenciar o que é para conter a insatisfação ou para tirar algum, os marqueteiros de plantão vão montar o pacote mais conveniente, para o momento certo e com preço adequado à percepção de urgência do povo, eu chamo “isso” de oportunidade política.
Existem exceções, sim, é claro, pois alguma coisa precisa funcionar no país, e quanto a isso podemos dizer que no Brasil funciona sim, algumas coisas.. algumas, Ministério da Fazenda é uma delas, os caras são bons, em todos os Estados.
A máscara da nossa gestão de hoje traz como pano de fundo uma das mais cruéis implantações do capitalismo, cruel, também, porque a gente paga caro por aquilo que o capitalismo “padrão” oferece em larga escala e com melhor qualidade, mas não que isso seja motivo para achar que a coisa vai melhorar, é simplesmente um processo de amadurecimento.
Fugindo um pouco do assunto, me ocorre que, de uns tempos para cá tenho dedicado mais tempo a observar as pessoas, e tem me ocorrido coincidentemente ao observar as entrevistas e palestras na TV, que, quanto melhor o discurso daquele que está no poder, pior é o trabalhador. Entendam que “pior” é no sentido de que, aquele que mais se esforçou para elaborar a mentira, ao invés de, simplesmente, prover a solução, ou seja, por trás do discurso que melhor cabe aos ouvidos da maioria, está o maior mentiroso. Seria um viés de “quem muito fala, pouco faz”, ou “cão que ladra, não morde” neste caso é “cão que ladra, é ladrão”.

CB disse...

TEM COMO NÃO VOTAR NO PT? II
Não estou me referindo ao orador de discurso perdido, com difícil busca de palavras, me refiro ao orador de discurso coerente, bate pronto, pois percebam que os discursos mais coerentes com a realidade denunciam os maiores urubus, pois, meus amigos, se a lógica geral está apodrecida quem melhor poderia descrevê-la senão o próprio urubu?. Nosso céu está cheio de urubus.
Todos os gestores que por nós passaram nos venderam o discurso da sociedade melhor, mas nenhum deles implantou. Os benefícios que estão hoje implantados são frutos únicos da observação da problemática e do seu potencial eleitoreiro. Temos bolsa família porque temos pobres que dela precisam, não teremos melhores hospitais porque não existe nenhuma epidemia matando milhares, as centenas que morrem não justificam o investimento, e por aí vai. Ah educação, investir em educação praquê?, (educação – DE QUALIDADE, cria cobra e urubu não come cobra, só se estiver morta.)
O populismo é um escudo que protege um princípio, não um gestor, não necessariamente.
Não existem soluções novas, não existe uma providência a problemas instalados e reconhecidos, (como exemplo a logística de transportes de cargas no Brasil) não existem ações inovadoras, existe sim novas oportunidade no “mercado” do voto, oportunidades que são geradas pela maior força da humanidade, pela fome e pelo sofrimento, infelizmente, combustíveis da nossa democracia, e a mídia, o motor.
Vivemos o paradigma do Urubu e da Carniça, que vira Coca-Cola depois que a gente se acostuma, e parafraseando Fernando Pessoa “Primeiro estranha-se, depois entranha-se.”
Em quem você irá votar na próxima eleição? Temos duas opções, votar ou não em um urubu, pois tem em todo partido, se tem preconceito com o urubu, vote no abutre, na hiena, no rato ou na barata, mas que gosta de relembrar os velhos tempos, vota no urubu rei, enaltecido por cotovias e sabiás comedores(as) de sementes nobres. O urubu rei tem o dom de lhe fazer sonhar, ver estrelas, inebriar-se nas nuvens de uma ideologia em construção, mas perfeita, que sobre a qual recomendo cuidado, pois o urubu rei comerá seus olhos, no nosso caso, ainda em vida.
Desculpem a minha ineficaz capacidade de encobrir certo incômodo, com a possibilidade de achar que nós não sabemos em que chão pisamos, sei que é o único que há, mas pisemos cientes do problema, com sapatos.