segunda-feira, julho 29, 2013

Salvador em Julho


Estivemos de férias em Salvador, hospedados no aconchego do Ed. Elsen. Diferentemente de Luis Carlos e Victor, nosso leque de cervejas foi baseado nas belgas: Duvel e Stela Artois. Duas unidades da primeira e duas caixinhas da segunda, diariamente, em ritual germânico.

Antônio Barreto foi convidado a ir para o brega pelo Tio Fernando, mas tendo consultado sua mãe Pat, informou então que ela só o deixaria ir quando completasse
dezoito anos.

Devido a isso, Antônio Barreto, Luciano e este que vos fala, seguiram para a Fonte Nova assistir o jogão: Bahia e Goiás. Para encurtar o tempo de espera, informamos ao guarda que éramos torcedores do Goiás, e assim, na qualidade de visitantes, usufruiríamos de uma bilheteria exclusiva. Mas para nossa surpresa, ao recebermos os bilhetes, constatamos que seríamos obrigados a ficar na torcida do Goiás, e assim sendo para lá nos dirigimos, e ali ficamos com os outros três torcedores (de verdade) do alvi-verde.

Na volta, uma passagem rápida pela Graça para uma pizza. Pizzaria cheia de senhoras e Antônio Barreto, falando ao telefone com a mãe informa em alto e bom som: “Mãe, praticamente não fomos ao brega”.

Pano rápido.

2 comentários:

eleusa disse...

A Pat fez muito bem. Esse Pango só fica enchendo o saco prá levar filho dos outros. Só quero saber se ele levou os tres dele pra essa baixaria. Claro que não, né?

Anônimo disse...

Eleusa, é isso mesmo, duvido que Fernando tenha cogitado levar os dele no brega. Não deixei.
Pat