quinta-feira, julho 04, 2013

Planeta dos Macacos



Nos anos 60, um filme de ficção que me marcou bastante, pelos princípios físicos com que  o enredo começava, eu um estudante de Física à época, foi o Planeta dos Macacos, com Charleston Heston. Ele partia da Teoria da Relatividade do Einstein para explicar a volta da nave ao planeta Terra no futuro. A história todos conhecem.
 
A Física no entanto, continua a evoluir e tentar explicar o universo em que vivemos. Já temos teorias como os "Buracos de Minhocas", "Teoria das Cordas" , dos "Universos Paralelos" e outras mais. Todas tentam entender o que é o TEMPO, que como conhecemos, corre sempre num único sentido, como um rio. Bom, isso na Física. No comportamento humano não é bem assim. Porque digo isso.

Num debate sobre opções sexuais recentes em Salvador, eis que, um parente foi tachado de PRIMATA. Ora, como somos da mesma espécie, pelo menos eu pensava, o epíteto atingiu a todos.  Na sequência, um dos agora "primata", alegou que o dente extraído há algum tempo, de acordo com datações e avaliações de arqueólogos, era típico dos Neandertais.
Como compartilho da família dessas pessoas, senti-me como um dos chimpanzés do filme, ao ter contato com o "ser" do futuro. A partir desse fato, passei a encarar a possibilidade da "Viagem no Tempo" como real, inclusive de achar, que alguns "seres" desses Universos Paralelos, por alguma torção no Espaço-Tempo, caiam em nossa realidade.

Há muito tempo, assisti um filme com Robert Redford e Natalie Wood em que ele contava um caso de um gato que sonhou que era homem e esse homem sonhou que era gato. Quando o gato acordou ele não sabia mais se era homem ou gato. Outro caso semelhante, era da professora ensinando a Teoria da Evolução do Darwin, e o garoto perguntou se o homem tinha vindo do macaco. Quando ela confirmou, veio a pergunta: E qual foi o primeiro homem que sentiu que já não era mais macaco?

No fundo, no fundo, eu estou com medo de ir para a cama e não saber o que vou acordar.




Álvaro Alfredo Risso

6 comentários:

Anônimo disse...

Conheço a história, é verídica:

“Da’s kloten van de bok” = Pelos testítulos do bode

Bel B disse...

Álvaro,
Vou consultar Melina para saber em que grupo você está....

Igor Matos disse...

Ser primata ou não é relativo.Estou com o velho Raulzito, já postei isso antes e continuo concordando.

"Não tem certo nem errado
Todo mundo tem razão
E que o ponto de vista
É que é o ponto da questão"

Que luz é essa? Raul Seixas

Igor Matos disse...

Seguindo o pensamento acima.

Eu sou a favor de uma população armada. Seria eu um primata?

Eu sou a favor do casamento Gay. seria eu um pensador moderno?

Fica a questão.

eleusa disse...

O certo é, que hoje soube mais amiúde das histórias dos "primatas" e dos "medievais". Estes seres quando morrerem tem que ser estudados os cérebros para ver que diabo de diferente eles tinham lá dentro.

Fernando disse...

Se vocês tem duvida do tempo em que vive eu e Ipê estamos a disposição para tirar as duvidas.