sexta-feira, maio 10, 2013

Dia das Mães


Se eu fosse escolher a mãe do ano, certamente daria o prêmio a Norma.
Uma dedicação admirável aos filhos, especialmente a Quito, este, em tempo integral durante anos.

Quito foi curado do primeiro câncer que teve há dezoito anos, pois na época os médicos lhe deram apenas meses de vida. Três anos depois, disseram que já não havia nenhum tumor. Um dia perguntei a Norma sobre esta cura impressionante, pois os espíritas acreditavam  ter sido uma cirurgia espiritual,  os católicos às promessas feitas, os evangélicos aos cultos e orações. Ela me respondeu  “ não sei dizer, fiz tudo que os médicos mandaram, não aceitei nenhum remédio milagroso destes que aparecem por ai, mas aceitei toda ajuda espiritual, de todas as religiões e acho que toda esta energia ajudou “. Para mim, a resposta estava clara,  a dedicação e entrega total da mãe para o filho.

Decidi ir para Conquista no fim de semana que foi o último de Quito porque Lilian que tinha voltado de lá, me disse: “Tia Norma não quer nenhuma pessoa estranha para ficar no hospital, ela quer que toda vez que Quito acorde, ele veja alguém da família”. Muito bonito, pensamento de mãe.


Há tempos atrás, eu comparava as três irmãs e considerava Norma a mais frágil, mais conformada, mais submissa, talvez pela sua natureza tranqüila e serena. Ledo engano.  Com o tempo vi a pessoa forte, guerreira e decidida que ela é. Naninha e Sandra sempre dão depoimento sobre sua capacidade de planejamento e organização. Quando há um evento a realizar (festas, aniversários, Clube da Amizade) as coisas só andam, quando Norma assume. 

Sempre admirei também a união e amizade entre os cinco, Norma, Nunça, Serginho, Anete e Quito. E tia Amelinha, na sua sabedoria, dizia que isto se devia a Norma. Além de tudo e de todas as dificuldades e sofrimento em relação a saúde dos filhos (Sérgio já deu alguns sustos também), Norma nunca se abateu. E quando vem a bonança, ela não perde a animação, vai comprar roupa nova, vai arrumar o cabelo e está pronta pra o que der e vier.

Norma é gente, um exemplo para todos nós. Gente assim que deixa marcas, que faz a gente refletir sobre nossos valores e tentar absorver um pouco de seu jeito de ser.

4 comentários:

art disse...

Concordo em gênero, número e grau.

Celia disse...

Tia Norma, com sua natureza serena e segura, sempre foi um pilar da nossa estabilidade emocional. Quando minha mãe estava doente, ela me deu muita força para enfrentar as mais diversas situações.

Lilian disse...

Realmente, Bel, Tia Norma é uma Guerreira.
Beijos, tia. Breve estarei com você. Quem sabe para aprender muito com você.
Lilian

Anilza Cristina disse...

Depois de ter perdido minha mãe, fiquei imaginando como estava Norma com a perda do companheiro e logo em seguida do filho tão próximo, tão amado e tão cuidado por ela... mas como dizem, encontramos forças... para seguirmos em frente. Beijo Norma!...