quinta-feira, março 21, 2013

"cadê meus cumpanhêro?"

Em novembro/2012 fui a um show em homenagem a Elomar. Música boa. Vozes de Xangai e convidados, violão de Robson Barreto. Entre os convidados gostei especialmente de uma menina que cantou Cantiga do Estradar. Lindo demais. Ela faz parte de um grupo chamado Sertanilia e seu nome é Aiace.
Outro foi Sapiranga que deu uma bela interpretação a música Arrumação.

Xangai, além de conversar e contar muitos causos, cantou várias músicas de Elomar que eu não me lembrava, todas muito bonitas, uma especialmente me chamou a atenção:

“Mais cadê meus cumpanhêro?
qui cantava aqui mais eu, cadê?
na calçada, no terrêro, cadê?
cadê os cumpanhêro meus, cadê?
caíro na lapa do mundo, cadê?
lapa do mundão de Deus, cadê?
............. “

Bateu uma nostalgia...  “ Cadê Dera? Cadê Valá? Cadê Leri? Cadê Charles?... O tempo passa, a vida  muda, cada qual segue o seu caminho, resta a saudade. Um dia, um show, uma música faz a gente relembrar, reviver...

Deraldo e Leri - 1990
O inesquecível Deraldo,  “malunga alegre de alma manera, ispantava a tristeza e ispaiava a zuada”,   se foi tão cedo e ainda me lembro perfeitamente de sua imagem, eternamente jovem na nossa memória. Dera era primo de Xangai e ele costumava aplaudir Xangai gritando: ” Me arreceba Eugênio Avelino!..” . Quantas vezes tivemos oportunidade de ver Xangai cantando, naquela época.

Valá, que era tão presente, só o vemos raramente agora, é aquele tipo que a gente se refere “este cara é gente fina, é gente boa”. A música de Elomar é a cara de Valazin. Lembro-me do entusiasmo dele falando de cada música, explicando as expressões que Elomar usa nas suas músicas. “Você sabe o que malunga? “ costumava perguntar. E falava de várias expressões das Curvas do Rio, do Alto da Caatingueira. Enfim, sabia tudo de Elomar, e era bom ver seu entusiasmo, sua emoção.

Leri foi “corrê trêcho” no interior e lá ficou... família linda e admirada, graças a Deus.  Outro dia conversávamos eu e Naninha, sobre Leri, que a gente considera mais que amigo, é o irmão que a gente escolheu. E o papo começou porque ouvíamos um cd-mp3 que tinha todo tipo de música. De vez em quando falávamos “esta música (A cúmplice) é a cara de Leri”... e daqui a pouco tinha outra (Serafim e seus filhos) que também era. E assim o papo rolou em torno desta figura. Naninha comentou que quando Leri foi morar na fazenda, ainda era solteiro e ela não conhecia a família dele, um dia chegaram de repente D. Heloina e Beto, então ela tomou um susto, foi como se só naquele dia ela percebesse que Leri não era nosso...
Porto Seguro -1990

E Charles, outro que hoje vive afastado da gente (eu e Fernando), não importam os motivos, mas também faz falta, por ser engraçado, espirituoso e bom companheiro. Prova disto são todos estes que citei acima, praticamente vieram para a nossa turma através dele. E esta amizade persiste até hoje, embora todos estejam distantes.

Enfim, faz parte da vida. “Ai sodade!...”





Para quem quiser ouvir a música:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=pPqmfxXVa6E

6 comentários:

Fernando disse...

Parece que Dera estar vivo...................a duvida é a melhor situação.
Podemos criar O DIA DO DERA.

Luladasequacao disse...

Como eu sou PhD eu tenho que ter o nome e a musica. Se chama "Chula no Terreiro" no disco 1 de "Nas quadradas das aguas perdidas" Minha mae me deu este disco em vinil, eu passei para mp3. Envio em CD pelo proximo portador.

Luladasequacao disse...

Bel, desculpe nao comentar sobre seu artigo. Me entusiasmei com a musica. Lindo, precisamos mais assim, eu corro atras no complemento, comentando e adicionando.

Tambem nao falei nada sobre Leri, Dera e Vala pois voce disse tudo.

Bel B disse...

E eu esqueci de dizer que o violão do Mestre Robson Barreto foi perfeito. Nota 10.

Complementando a informação da música, ela é cantada por Elomar e Dercio Marques, cantor mineiro que faleceu em 2012.

Lula, não precisa você enviar o CD. Eu também tinha este LP que passei adiante quando desfiz de todos os meus discos de vinil. Meu irmão Darlan me deu um cd-mp3 com vários discos de Elomar, inclusive este.

Fernando disse...

Oi turma

A CARAVANA DA ALEGRIA detém em seus arquivos (1000 m² )atualizado.
Lula mande outra relíquia para conferir.
Fernando

Anônimo disse...

Bel, trabalhei cinco anos na Engex e a convivência diária com Deraldo e Willam (se foi nove anos depois) marcou uma boa fase de minha vida. Lendo o seu texto quase choro; só não digo que chorei porque tenho vergonha de dizer. Também te considero minha irmã. Um beijo. LERI