segunda-feira, agosto 06, 2012

O CAUSO DO DESODORANTE MAL APLICADO

Anos após a experiência científica da bomba já relatada neste site quando eu morava em Salvador e meus sobrinhos Martins moravam em São Paulo, onde foram para estudar na USP e costumavam vir para a Bahia nas férias, com alguns dias nesta cidade, muitas histórias aconteciam... Nesta época foi quando houve o primeiro Boom Carnavalesco de Salvador ...Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu... samba, suor e cerveja...  entre outras caetaneadas. Não só os Martins, mas também uma horda de paulistas convidados deles, invadiam nossas vidas nos verões da capital... estes são causos para outras ocasiões.

O causo a relatar foi que Lulão um belo dia aqui, acompanhou Edinho para o trabalho, no Comércio. Na volta andando pela cidade acharam belas melancias da qual adquiriram 2 e como ninguém tinha automóvel e a grana para o taxi era curta, continuaram andando com suas melancias, subindo a famigerada Ladeira da Preguiça e assim alcançando o Largo 2 de Julho e a Rua Areal de Baixo, onde morava uma mocinha chamada Lucia Chagas, que viria a ser posteriormente, a mãe de Quinho, Naninha e Leo, avó de Joaquim, Nanda e Duda.

Depois de compartilhar uma melancia com a amada de Edinho, seguiram para casa. Lulão chegou deveras cansado após tão longa caminhada, desacostumado ao calor e umidade desta terra abençoada pelos deuses (acredite se quiser), e dirigiu-se ao banheiro para se refrescar. Eu, encostado na minha cama, lia um livro (acredite se quiser) quando ele saiu do banheiro e exclamou: "Estou todo assado!..." Então respondi: "Bom mesmo é colocar desodorante. "
E não é que o cara seguiu meu conselho? Desenrolou-se da toalha munido de um desodorante spray Phebo, quando ia tirando a cueca samba-canção,  me mandei para sala. Ele mirou o alvo e.... "UAAAIIIIII!!!!..."
Todos se assustaram. Eu entrei em crise de riso. E Nicácia preocupada: " o que você fez  com o menino???  "
“Nada”, respondi, “... o cara que é maluco! Ele quer se matar com um desodorante!” 
Passados alguns minutos ele chega a sala e diz  ...  "E não é que melhorou mesmo!..." (acredite se quiser). 
Lulão é o cara.. sempre participativo nas brincadeiras, com bom humor e sem mágoas.

Anos mais tarde outro Martins,  Hamilton Ipê,  colocou desodorante no olho pensando que era colírio... e foi outro desespero. Desta não tive nenhuma responsabilidade...

5 comentários:

Mariana disse...

Nossa família é cheia de histórias... Me divirto muito com as de Califa e Alex, são muito autênticos ; )

art disse...

caraca, heavy metal

CB disse...

Pois eu também tenho uma de desodorante. Cheguei na fazenda TINHA o costume de não levar o desodorante, usava o que tinha por lá. Pois bem, fazenda sabe como é, falta embalagem para fazer algumas coisas, então meu pai pegou um frasco de desodorante usado e encheu de "Thinner" quem conhece faz ideia..., para matar rã no banheiro. Resultado, tomei banho a taquei o thinner debaixo do suvaco achando que era um desodorante comum... meu amigo, descobri a importância dos cabelos embaixo do braço, pois se não os tivesse tinha perdido o braço. O troço começou esquentanto aos poucos e quando vi estava com o suvaco vermelho e poucos segundos depois em brasa!!, entrei debaixo do chuveiro e passei quase 1 hora para conseguir aguentar a dor, passei quase 24 horas sentido uma ardência debaixo do braço.. depois dessa viajo com minha "necessaire", e meu desodorante de embalagem anti-reúso para evitar pegadinhas.

CB disse...

Põe as vírgulas aí que faltaram algumas ,,,,,,,,.

Guarde as que sobrar..

Fernando disse...

Cristiano, acho que foi a vingança das rãs...