segunda-feira, agosto 20, 2012

Mais um final de semana na Bahia


Mais um final de semana na Bahia, semana passada fiquei em Salvador e esta semana passei por Salvador em direção a Conquista.Cheguei na sexta feira em Salvador, saí do trabalho de ônibus às 16:30 com destino ao Galeão, meu voo saia 18:30, quase perco o voo - cheguei menos de 15 minutos antes, haja engarrafamento na linha Vermelha.
Cheguei em Salvador 20:30 e fui para o Sal & Brasa. Cheguei quase 22:00 horas, depois que o carro de minha colega pifou a bateria e Ivana ter ido me pegar no Costa Azul. Meus colegas de faculdade estavam desde 13 horas comemorando os 26 anos de formatura e me esperando chegar do Rio. A farra correu até mais da meia noite. 
Fui dormir na casa de minha colega Socorro, ficamos conversando até 3 da matina e 6 horas peguei um taxi e fui de Passaredo para Conquista (meia hora de voo). No aeroporto Internacional de Vitória da Conquista até flores recebi, até parecia que estava voltando de uma longa viagem internacional (aconselho a todos a vir morar no Rio).
Fomos para casa e ajudei Dona Norma a preparar o almoço, bem leve, estilo Vigilante do Peso, um estrogonofe maravilhoso de filé mignon, uma carne de sol de porco assado com aquele saco transparente, salada, farofa de feijão, tudo light e delicioso. Haja ponto....
Não comi a sobremesa e nem tomei coca nem cerveja, acho que deu para compensar.
Depois do almoço, resenhas..... Naninha fez a gente rolar de tanto rir.... Todos no quarto de Dona Norma. Não tirei foto, esqueci. Quem estava presente? Vou ver se lembro de todo mundo : Eu, painho, mainha, Quito, Serginho, Anamira, Joana e Bruno, Aninha, Naninha, Lucinha, Sandra, Daniel e Isa, Maria Luisa e Joaquim. Ah! Estava presente também o Pedro, que de uma carona para a Rodoviária para ir para Encruzilhada, como o ônibus só saia 14 horas e não conseguiu vaga nas vans, filou até a boia.

Como a família hoje está menos pesada, de tardinha fomos ao Shopping, todo mundo disposto.  Como sou tia-avó, Malu não quis ficar com ninguem, só comigo. E como uma boa tia-avó, fui para o parquinho, horas de pula-pula, trenzinho, carrinho, motinha, etc....
No domingo, mais Vigilante do Peso, na casa de minha cunhada Anamira, sabe aquele courinho do porco torrado? Não resisti. Uma galinha caipira, uma salada de macarrão, couve refogada e arroz tipo chinês. Isto fora a cervejinha que fui obrigada a tomar com Dinda. E depois a parte mais difícil, as sobremesas, uma torta de limão e o morango com chocolate e chantilly. Dos deuses, só me resta me alimentar de luz até sábado quando for me pesar para não levar bronca.

E não para por aí, terminando a farra, logo chegou a hora de ir para o aeroporto. Fui para Salvador e tia Noe e Lú me pegou diretamente do Aeroporto para a casa de Robinho que tinha um resto de festa do aniversário de Maria Júlia. Mas desta vez fui bem leve, só comi um pouco de estrogonofe e macarrão com molho a bolonhesa e tomei uma ceverjinha, afinal não sou de ferro.
Dormi e de madruga peguei um taxi, fui para o Aeroporto e cheguei aqui no Rio 8:30 da manhã diretamente para o trabalho. Cheguei cheia de energia, afinal a família é tudo de bom, não tem cansaço certo.

4 comentários:

Fernando disse...

Anete, um dia em minha vida deixei uma pessoa na rodoviária que iria para Conquista. No dia seguinte encontrei esta pessoa na casa de Nelson... meu pai dizia não existe no universo um homem que consiga viver com esta mulher. Hoje a neta está pior...

Fernando disse...

o que é mais importante as comidas ou as pessoas????

Anete disse...

Creio que não conseguiriamos viver sem elas (as comidas e as pessoas).
É necessário comer para sobreviver, mas as pessoas fazem da comida muito mais que isto, colocamos como centro de tudo. É um prazer fazer, servir e comer.
Tudo está tão interligado, uma coisa puxa a outra. Quando você está sozinho a comida não tem o mesmo gosto, perde toda a magia.
E morrendo de fome você nem consegue conversar com as pessoas.
Logo não existe mais importante, se complementam.

Anete disse...

Me orgulha muito ser parecida com minha avó Nicácia, somos de Libra, nascemos em outubro, vovó dia 01 e eu dia 18. Não acredito em horóscopo, mas seria só coincidência? Genética?
Pois é, herdei esta parte e espero que continue pelo resto da minha vida.
Adoro visitar pessoas (com comida ou sem).