quinta-feira, maio 12, 2011

A valorização da mediocridade.

Li ontem e hoje duas materias no site do Ig que realmente me deixaram indignado.

Ontem uma materia trazia a informação de que "...um parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE) que sugere que o livro Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato, não seja distribuído a alunos e professores, sob a alegação de que a obra é racista..."

Hoje uma materia mostra que num livro aprovado pelo MEC os autores não veêm nada de errado nas seguintes sentenças “os livro ilustrado mais interessante estão emprestado” e “nós pega o peixe” alegando que isto é defesa da forma popular da língua. Os autores vão ainda mais longe afirmando o seguinte: "segundo os autores, o estudante pode correr o risco “de ser vítima de preconceito linguístico” caso não use a norma culta."

Será que falar e escrever corretamente agora é preconceito?

3 comentários:

Bel B disse...

Li uma reportagem sobre a descoberta recente de umas cartas de Monteiro Lobato em que ele realmente defendia a segregação racial dos Estados Unidos, como muitos naquela época. Deve ser por isto que os imbecis estão condenando a obra do escritor. Tem que analisar a história, por exemplo, ele morreu em 1948, a lei de segregação racial nos Estados Unidos foi derrubada quase dez anos após.

Na minha infância li bastante Monteiro Lobato e cantei Atirei o pau no gato... não tenho idéias racistas e até hoje não tive vontade de matar nenhum gato.
Quanto ao português errado, se fosse no governo passado, eu poderia compreender. Para finalizar, acho que com estas idéias podemos até sair do terceiro mundo, mas o terceiro mundo jamais sairá da gente...

Bel B disse...

Não sei onde vamos parar com tanta imbecilidade... A autora do livro que defende o português errado fala até em " preconceito linguístico".

Já sabemos que o maior problema do Brasil é falta de educaçāo e com medidas deste tipo, percolate a esperança.

Fernando disse...

Este projeto de educação eu chamo de miolo de pote. Vocês sabem o que isto? Perguntem que eu respondo.