segunda-feira, maio 16, 2011

POEMA

Fragmentos -
Brasil Barreto


Vivo agora despido
sem títulos e montaria
vago no silêncio das ruas,
pelas gargantas da noite,
com angústia de quem espera
uma confusa e demorada degola.

Chego a perguntar
porque desta longa demora?
Sinto pelo meu corpo
um leve vento persistente,
no meu peito, uma fina dor
que insiste em ficar
fragmentada em suaves pedaços.

Mesmo assim, acreditava
que nem tudo estava desfeito
como num avassalador, cruel e
tirânico golpe de Estado.



Brasil Barreto nasceu no Rio de Janeiro. É um poeta de tradição oral que participou intensamente da geração de poetas de rua que faziam saraus em bares e livrarias no Rio de Janeiro nos anos 70. Publicou Folhas Livres (1976); Franga Poética (1978); Poesia Arte Tônica (1983); A Cartola Mágica (1992); Atmosfera, e outros fragmentos (1995) e Farpas e Fagulhas (1996).

2 comentários:

Bel B disse...

Adorei. Será que este Barreto é nosso primo?

art disse...

Cara, não sei não. Mas que parece, parece.