domingo, setembro 12, 2010

O que faz a diferença?

Tenho observado o vai e vem dos candidatos, e, pela minha ainda remota tentativa de buscar entender mais uma regra do jogo, percebo que a ordem geral da motivação do voto, pela população, não está ligada a investigação da competência do nosso futuro gestor, (porque isso também não é fácil de investigar), mas daquilo que é passado como possibilidade de sê-lo, alinhada a capacidade de se apresentar como tal. As pessoas tem buscado votar no que acreditam e favorecem quem convence melhor, que acaba ganhando.

A aparente competência tem valido mais do que a competência de fato, ou seja, votamos naquilo que nos é vendido como competente, sabendo eles que, a maioria não avalia, acredita, e vota no sonho, brasileiro adora sonhar. Ao invés de uma gestão bem feita, uma campanha bem feita tem decidido mais o destino da nossa vida do que nossa ideologia, a velha história de mostrar que o ovo da galinha tem mais valor que o ovo do pato parece que isso “encrostou” no inconsciente coletivo das pessoas simplesmente porque a galinha faz propaganda, e acaba todo mundo preferindo comer a porra do ovo galinha.. “até os patos”. Entendam que sob a ótica política, pode-se pegar um grande pato e entregá-lo nas mãos de grandes marqueteiros, que muito habilmente, o transformarão em .. galinha.

Infelizmente a maioria de nós é (tem que ser) treinada para comprar gato por lebre, desde pequenos, somos filhos de um sistema que precisa de bobos, pois tem um pato bem grande para ser pago, e, nesta onda, o esforço para nos fazer de “patos” é brutal, chega a silenciar nossas idéias e nossa capacidade de raciocínio. Acreditem, existem produtos para patos e existem ovos de pato, você sabe a diferença?

A aprovação tem advindo da avaliação de posturas minimalistas, se zangou, se suou, se tremeu, se gaguejou o povão não vota, querem votar em pessoas desumanas! depois querem que o cara seja humano.., assim não dá. A forma como o candidato se comporta perante a um assunto que pouco sabe tá valendo mais do que sua capacidade de trabalho e de direção estratégica?. A turma está avaliando se o camarada engana com categoria malandral, se sim, é aplaudido!, já que “isso” sintoniza com boa parte do comportamento do brasileiro comum, que adora esse malabarismo, e aí vem o pior!, como maladragem é uma arte para pato, uma parte da pataiada substitui suas ideologias pela idéia enlatada, pronta para consumo, e se torna vendedores do tal enlatado. É a gloria senhor!.

Acredito eu que o “establishment” não será mudado por nenhum candidato, todos terão a missão de mantê-lo, mas a grande questão é: eu não quero comer ovo de galinha!!

Quaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaac!!

2 comentários:

Bel B disse...

Eu já votei no sonho, mas virou pesadelo... QUAC!...

Mariana disse...

MEU NOME É ENEAS!!!!