sexta-feira, agosto 27, 2010

Entrevista Set/10


Galera,

Esta é a nossa primeira entrevista no Blog do caravana, é um piloto espero que gostem. Aceitamos críticas, sugestões e elogios também.

Bem, vamos ao que interessa. O entrevistado deste mês é Diego.

O entrevistado por ele mesmo.

Eu sou o Diego, filho da Anete e do Fred (Porque Frederico é feio), tenho 17 anos (quase 18), sou estudante e vagabundo e estou morando no Mississippi fazendo intercâmbio.

Você já está a quase um ano morando no Mississipi, quais as principais diferenças no curriculo escolar e na metodologia de ensino do colégio nos EUA e no Brasil? Quanto as disciplinas que você cursa quais são obrigatórias e as escolhidas por você e por que você as escolheu?

Primeiramente, aqui você pode escolher suas matérias, com poucas limitações. Você tem que ter uma aula de inglês, uma de ciências, uma de matemática e uma de ciências sociais, sendo que, se você tiver créditos suficientes, você pode escolher não fazer alguma. No total você tem que ter 24 créditos no final de 4 anos pra se graduar, cada aula anual vale 1 crédito, mas algumas aulas mais avançadas, Honors e AP, valem 2 ou 3 créditos e aí se você tiver mais de 28 créditos você ganha um diploma especial.
Eu estou fazendo no momento:
Francês, mas eu vou sair porque meu professor se demitiu.Governo, que é obrigatória para todos os Seniors (aqui 12º, aí 3º do ensino médio)
Economia, que também é obrigatória.
Química AP, que é uma aula de química de faculdade (Pra eles, pra nós é química de ensino médio), que é meio díficil porque eu estou tendo que reaprender todos os nomes em inglês
Produção Teatral, porque eu vou estar numa das 4 peças da escola esse semestreInglês AP, que é a melhor aula do mundo! Não tem nem um mês de aula e eu já li 3 livros, e vou começar o quarto, pra essa aula, que é avançada até para alunos bons de ensino médio aqui.
Trigonometria, porque eu tinha que fazer matemática e não queria fazer Cálculo (y)


É sabido que você gosta muito de música, literatura, cinema, mas sua mãe, que é engenheira, nos confidenciou numa oportunidade que gostaria que você estudasse engenharia ( estes engenheiros não se mancam acham que só existe engenharia como profissão) . Você acha isso viável ou é apenas um sonho de mãe?

Tem alguns trabalhos que eu sei que nunca faria. Um deles é engenharia. Eu não gosto de matemática. Isso é definitivo, não é minha praia. E além disso, eu cresci vendo minha mãe trabalhando até a madrugada todos os dias e reclamando de dinheiro todos os dias. Não rola, MESMO. Humanas na cabeça.

Em breve você deve retornar ao Brasil quais seus planos para o retorno, o que pretende estudar que área de trabalho você pretende atuar?

Quem sabe? Eu mudo de idéia de vez em quando. Eu vou acabar fazendo inglês e virando tradutor (de livros, porque ninguém mais precisa de tradutor pessoal e tal), porque dá dinheiro e eu leio os livros antes de todo mundo (y). Mas eu penso de vez em quando em fazer música, artes cênicas ou cinema... Mas quando chegar a hora eu me decido. Só sei que eu vou voltar pro Brasil, estudar pro vestibular, passar na UFRJ ou na USP, arranjar uma bolsa pra ir pra Inglaterra e viver a vida!

Depois desta experiência morando fora do Brasil você pensa em sair novamente no futuro? Porque?

CLARO QUE SIM. Quem me conhece sabe que, por mais que agora eu queria muito voltar pro Brasil, depois de uma semana aí na terrinha, eu vou querer ir embora pra algum outro lugar. Eu sou muito inconsistente, eu quero ir pra vários lugares e tentar encontrar um que me faça me sentir mais "Eu mesmo", sabe? Não que o Brasil seja ruim de modo nenhum, por mais que eu tenha falado isso no passado, eu sei que é o melhor lugar do mundo. Mas eu sinto muito angústia quando fico preso em algum lugar por muito tempo.

5)Quais as maiores lições você tira desta experiência longe de tudo e de todos?

Essa é fácil. Número 1, o Brasil é o melhor lugar do mundo, e melhor que brasileiro não há. Número 2, tem gente inteligente nos EUA, mas eles estão escondidos. Número 3, Se você quiser algo, faça, porque quando, como eles dizem aqui, "the shit hits the fan" (Quando a merda bate no ventilador), ninguém vai te tirar debaixo. Número 4, se você for morar nos EUA, não vá pra um estado onde o restaurante brasileiro mais próximo fica a 4 horas de carro.

6)Falando de política, qual a sua visão sobre a política e os políticos brasileiros?

Eu não sou muito ligado em política. Eu sei que eu devia ser, e eu sei que todo o problema do país vem da juventude que não liga pra porra nenhuma. Mas eu, apesar de ser jovem pra caralho, já li muito e criei uma visão muito antí-política no senso comum da palavra. Política hoje em dia é associada com roubo e corrupção. Eu acho que se trata agora dos pais dessa geração educarem seus filhos com uma visão mais polítizada e ao mesmo tempo pronta pra agir. Porque, sério mesmo, a minha geração é muito vazia e desocupada. Eu acho que os nossos pais deveriam ter nos criado pra mudar o mundo (óbvio que não estou desmerecendo a criação de ninguém, porque apesar de todo mundo reclamar que minha mãe me mimou e tal, ela fez um trabalho bom pra caralho (y)). E essa é a minha visão, ou falta dela, de política.

7)Na sua opnião o povo brasileiro é o reflexo dos seus líderes ou os líderes são os fiéis representantes da população que temos?

Depende. Na minha opinião o povo brasileiro é muito dividido para ser generalizado como "o povo brasileiro". Nós temos 3 classes sociais principais e dentro dessas classes nós temos subdivisões mais profundas. Além disso, nós temos uma população pobre muito grande e voto obrigátorio, o que faz a maioria dos votos serem de pessoas ignorantes (no sentido de não educadas). Então se você está falando dessa grande massa da população, o líder representa o povo. Afinal, nosso líder é "do povo" e um candidato extremamente populista, que seria equiparado em popularidade ao Obama aqui em relação à população não-branca, sendo que, o Obama foi pra Harvard (y). Por outro lado, existe toda a massa de pessoas intelectuais que foram influenciadas pela animação em relação ao Lula e que em todo o furor acabaram inclinando para o atual presidente, estes são os que refletem os líderes. E nos ainda temos a terceira massa, que é a massa educada que sabe que nem o Lula, nem nenhum outro candidato à presidência atual, vai fazer porra nenhuma e por isso é a parte da população que não tem um líder político, porque a representação do "povo brasileiro" foi escolhida por outros e eles não puderam fazer nada sobre isso. Pois é, o nosso país é complicado pra caralho. Ainda bem que nós temos praia, cerveja e mulher bonita pra tirar a cabeça da política. (y)

Agradecemos a Diego pela disponibilidade. Esperamos fazer da entrevista uma atração mensal aqui no Caravana.

7 comentários:

Betty Boop disse...

Show De Bola MARIDO!! ARRASOU(y)
Continue assim!!! Muito legal esse super piloto!!

Diego, vc pode ter ido morar em um lugar não muito atrativo...mas com certeza com essa oportunidade todos viram o homem de princípios que está se tornando!! Sem engenharia então...fica melhor...mas nada de humanas sem ganhar dinheiro!!

Anete disse...

Estávamos na Ferreira Costa (casa de material de construção aqui em Salvador) e recebi o telefonema de Bel, achei que era Fernando querendo falar com mainha e passei o celular para ela.
Quando Bel falou da entrevista, mãe, vó, vô e tios corujas já ficaram todos orgulhosos, só a notícia bastava, nem precisava ler a entrevista....brincadeirinha..... Igor, parabéns pela iniciativa, realmente nunca esperei que o primeiro fosse meu filhote...
Almoçamos no Ki Camarão e chegamos neste instante em casa, corri para ler a entrevista, eu e Dona Norma...
Nem preciso dizer que adorei.
Apesar de nem sempre concordamos com as mesmas coisas, tenho conseguido dar a meu filho a oportunidade de ir atrás de seus interesses e descobrir que às vezes estou certa nas minhas colocações e se tiver errada ele vai ter condições de analisar e tomar um posicionamento coerente.
A verdade não é absoluta, ela é sim muito dinâmica, mas como sempre falei, temos que sempre procurar ser honestos, felizes, amigos, tudo de bom. Acho que consegui passar isto na criação do meu filhote. Ainda bem que ele entendeu e segue em paz....
Te amo garoto.

sergio disse...

Estou muito orgulhoso do MEU SOBRINHO.

Bel B disse...

Gostei da escolha do primeiro entrevistado, para conhecermos os pontos de vista da nova geração. Os da velha...kkk... a gente já conhece.

Lilian disse...

Diego

Estou orgulhosa de você. Vá em frente e ganhe o mundo, ou melhor, permita que o mundo ganhe você. Beijos da Tia Lila

Ivana disse...

Diego,

Pelo visto toda essa experiência está valendo. Quando passei um ano nos EUA, há tempos atrás, o que foi mais proveitoso foi o meu crescimento interior. Tive a impressão que vivi 10 anos em um, mesmo com a vida parada de Chepachet, Rhode Island. A sensação é que passamos a ser cidadãos do mundo. O difícil é quando retornamos, cheios de sonhos e a realidade daqui nem sempre permite vivermos num mundo sem fronteiras. Corra atrás dos seus sonhos. Na vida devemos mesmo fazer o temos vontade e para isso basta ter coragem, pois a "providência divina se põe em movimento para nos ajudar" (Goethe).

Vinícius disse...

Adorei a entrevista com Diego. O rapaz já está maduro e bem encaminhado.
Parabéns total para vc, Diego, "o cara"!
Vinícius