sábado, julho 31, 2010

Victor - The Shadow



Nome: Victor Paschoal Martins – O Sombra
Nacionalidade: americano
Idade: 15 anos
Residência: Carolina do Sul – E.U.A.
Filiação: Lula (não confunda com o presi) trata-se de Luis Carlos Martins e Selene Paschoal (conhecida também como Chiquita).
Sobrinho-neto de Fernando.
Funcionário temporário da Letto Móveis no cargo de Auxiliar do Mestre Marceneiro de Desenvolvimento, durante o mês de julho de 2010.


Tem uma lenda que diz que uma criança de 3 anos se sente dono do mundo, aos 5 tem certeza que é o dono, agora descobri que com 15 é dono da galáxia.
O discípulo com poucos dias de aprendizado já queria superar o mestre. No inicio, seguia o Mestre para todos os lugares e foi logo apelidado de Sombra, pelos operários da fábrica. No desenvolvimento de uma poltrona, quis definir o acabamento e fez o serviço por conta própria, mas tomou uma regulada do Mestre e teve que refazer tudo. Logo em seguida pediu desculpas, grande arma utilizada pelo Sombra, nestes momentos de dificuldade.

Um grande entrave entre o Sombra e os outros setores era o prazo, pois 15 minutos de baiano comparado com 15 minutos de americano, não combina nunca, e a cobrança do Sombra é implacável. Depois da primeira semana todos os encarregados se recusavam a dar prazo para ele, porque o Sombra não perdoa...
Em compensação as 7:30h da manhã, no inicio de expediente, o Sombra era só corpo pois o espírito ainda estava dormindo e assim saía sorrateiramente para um cochilo que o Mestre disfarçava e fazia vista grossa. Com a chegada da tia dos States, Sombra incorporou Mom, e passou a chegar às 10h, quando abordado pelo mestre, deu a seguinte explicação: Tio Fernando chega muito cedo, Tia Bel muito tarde e não tem um carro para ir me pegar no meu horário (¿¿¿¿)
Com a conclusão da cadeira o Sombra passou a enrolar o mestre e dizer que estava muito cansado e solicitou descanso de 6ª até 2ª pela manhã, mesmo assim ele continuava cansado.
Dureza mesmo foi comer feijão todo dia, penalizado fiquei, e sexta-feira passada o levei para almoçar num restaurante. Ao chegar um filé ele avançou e colocou no fundo do prato, pois não deu tempo virar o prato, tal era a fome.
Outra particularidade do Sombra é que ele fazia a agenda dele por conta própria sem consultar a dos outros, e sempre dava errado.
E quando ficava nervoso, xingava a humanidade toda, em inglês claro!. Como ninguém entendia, ninguém se ofendia.

Concluindo, a experiência foi muito boa para todos, pois afinal de contas, um menino de 15 anos se propor a passar as férias trabalhando num serviço deste tipo (a idéia foi dele), com o grupo de operários de outro nível social e intelectual, em outro país e com certa dificuldade na língua, não é coisa fácil.
Para os operários, conviver com uma pessoa de outro país, com outros costumes, também foi muito gratificante.
Deveria servir de exemplo para outros jovens, inclusive da família, passar umas férias fazendo algo diferente. Com certeza vale a pena.

3 comentários:

Selene disse...

kkkkkkkkkkkkkk.. Nandin, tah otimo. Ele eh assim comigo tbm. Me gerencia ate nao poder mais. Eu tenho que fazer as coisas ou a crobranca eh em cima. Desde dos pagamentos que tem quw fazer a escola ate as consultas de dentista e medico.

Bel B disse...

Quinta-feira Fernando estava em SP e eu ia sair, então Victor me perguntou pra onde e porquê. Pode? Eu que sou da época da liberdade de ir e vir... kkk

art disse...

Legal pra caramba, parabéns ao jovem shadow.