quarta-feira, julho 07, 2010

O que fazer quando não há nada pra fazer ou O tédio de um menino de cidade grande no fim do mundo.

Antes de tudo mais, obrigado por terem feito meu post o segundo mais comentado do mês de junho :D É sempre bom saber o que as pessoas acham sobre o que você escreve (y) Por isso eu encorajo sempre que comentem nos posts que leiam :D

Todos já sabem que estou aqui, e que vou ficar aqui até dezembro, e eu acho que fiz mais do que claro no último post que essa cidade é realmente pequena, e apesar de ter fast-foods e um shopping e coisas assim, não é nada comparada a Salvador (que eu já achava pequena também, diga minha mãe que tinha que me aguentar todos os dias falando que eu queria ir embora e morar na Europa), então chegou o verão, com o verão, as férias e com as férias. Nada.
Já que não tenho mais que ir à escola, fico o dia todo em casa, porque está todo mundo trabalhando, e eu não gosto de ficar pedindo pra eles me levarem pros lugares, aliás, não tem muitos lugares para eles me levarem. Fico o dia todo em casa, tentando achar algo para me entreter. Comprei um videogame aqui, um xbox 360, e é ótimo porque dá pra jogar por horas e jogos aqui são bem baratos se você comprar pela internet.
Mas, como não se vive só de matar monstros, tive que achar outra coisa para fazer. Tentei tocar guitarra, mas estou com um bloqueio musical monstruosos e não consigo colocar dois acordes que prestem juntos (y).
Então fui assistir filmes. Fui na blockbuster e loquei cinco filmes de uma vez só, que assisti em dois dias.
Foram eles:
Volver do Almodóvar, que é muito bom e a Penelope Crúz atua lindamente nesse filme
Má Educação, também do Almodóvar, que é na minha opinião o melhor filme dele, porque toca em tantos assuntos diferentes numa só narrativa, minha mãe até pediu para que eu escrevesse sobre ele, talvez eu escreva um dia desses ._. Não sei...
Cidade de Deus, só pra dar uma lembrada do Brasil, aliás, fiz o Taylor assistir esse filme e ele falou que só tinha estupro e morte, não tinha substância... Fazer o que, americanos não entendem nada além deles mesmos.
Assisti também 2 Dias Em Paris, que é uma ótima comédia, e, além do filme ser ótimo, tem uma cena com o Daniel Brühl, que faz o filme valer a pena xD.
E, por último, Amadeus, que é maravilhoso, quem nunca assitiu, recomendo.

Então, fiquei com vontade de assistir mais filmes clássicos e tal. Fui na blockbuster denovo. Eles não tem mais nenhum filme do Almodóvar, nenhum do Fellini, nenhum do Godard... Num fio de esperança ainda procurei Fritz Lang, mas nada >.<...
Estou agora baixando da internet, que é de graça, mas aí não posso assistir na TV lá de baixo :( Ainda assim, melhor do que não fazer nada (y)

Quando for pra Houston, vou ver se tem alguma peça passando ou algo assim (y) Só pra alimentar meu intelecto, mas o mais importante, tenho que revelar pra vocês, é que eu coma comida brasileira, porque de hambúrguer, já estou cheio xD.

Saudades de todo mundo :D

9 comentários:

Kinho disse...

Diego, vc deveria ter praticado mais a atividade do ócio lá em Itaquara, quando vc estava com aquela namorada, vc iria tirar de letra esse lugar. Lá quando você não esta fazendo nada você está dormindo e se vc não tem sono ai sim, vc vai bestar na rua, pois como diria o velho proverbio Itaquarense "melhor bestar que fazer besteira".

Bel B disse...

Amadeus é realmente um filme maravilhoso e faz parte da minha lista de "os mais mais". E se você gostou tanto, quem sabe um dia não vai gostar de ópera também? Vivo procurando adeptos.
Quanto a Almodovar um dos meus preferidos é Tudo sobre minha mãe.
Ah!..Adorei o provérbio itaquarense ... kkk.

Sergio disse...

Diego.
Tente malhar,vc gasta tempo e melhora a saude.
abraço
Tio Sergio

Betty Boop disse...

Diego,
podemos ir em um restaurante Brasileiro em Houston...normalmente o povo não quer ir...mas no seu caso é diferente...vc está por aqui e já está cansando do american way of life...então!! Pode ser tanto churrascaria como também um prato de comida relativamente caseira...vc escolhe!!
Até amanhã!!
Rose

art disse...

Diego. Não há cidades grandes nos EUA. Tente New orleans, será o mais próximo que você conseguirá chegar da civilização. Outra boa saída é comprar um livro sobre a europa (O tratado da servidão voluntária, por exemplo).

como disse BBKing acordando na van que o levava para um show aqui na Barra: "is it L.A ?"

Norma disse...

Diego.
Li seus depoimentos e cada dia fico mais orgulhosa de vc,sei que esta experiéncia lhe sera útil no futuro.Continue sendo a pessoa legal que vc é.
Beijos Norma

aneteviana disse...

Mãe e vó corujas....
Temos na família muitas pessoas que gostam de escrever e escrevem muito bem...Cristiano, André, Nara, Bel, Rose, Nana, Mariana cadê você? e os que faltam ainda se revelar ... isto é muito gratificante, tantos talentos...
Parabéns a Bel por ressuscitar (é assim mesmo que escreve, mesmo usando o corretor do word fica estranho) o CA.

nelma disse...

Hei Diego!
E eu que achava que tinha te levado a um programa de índio aqui no Rio de Janeiro (Lembra daquela aquela aula de Filosofia com Cinema em pleno sábado quase o dia inteiro?)
Estava no paraíso e não sabia, não é?
Bjs!

Die disse...

Programa de Índio nada! Adoro qualquer um desses programas cults, principalmente se tem cinema no meio :D Eu me apaixonei pelo Rio daquela vez (y)