quinta-feira, novembro 06, 2014

Meu caderno de Português

E por falar em baús e antiguidades, encontrei  estes dias o meu caderno de Português da época em que eu morava em Conquista.
O que estudava uma menina de 15 anos nos anos 60? Já ouviram falar em orações sindéticas e assindéticas? Verbos rizotônicos e arrizotônicos? Partícula apassivadora? Predicado verbo-nominal? E outras coisas semelhantes...
A maior parte do caderno é dedicada a Análise Sintática, e não são frases simples. 
Alguns exemplos:
  • Detive-me extasiado porque a paisagem que estava a meus olhos era deslumbrante.
  • Tirou o lápis, buscou ideias que pululavam na cabeça.
  • Os sábios que escavam as sedes das antigas moradas dos homens chamam-se arqueólogos.

Todas analisadas.

E eis que me deparo com a análise do Hino Nacional.

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heroico o brado retumbante, /
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da pátria, nesse instante.

Período composto por coordenação
Primeira oração (até a barra): coordenada assindética aditiva
Sujeito simples: as margens plácidas
Predicado verbal – ouviram o brado retumbante de um povo heroico
Objeto direto – o brado retumbante
Adjuntos adnominais: heroico (de povo). Do Ipiranga, as e plácidas (do suj. margens)......
Segunda oração: coordenada sindética aditiva.
....................

Alguém ainda estuda isto? Onde? Pra que serve mesmo? 



3 comentários:

eleusa disse...

Aff!!!!!!

Bel B disse...

Na época, eu gostava, por incrível que pareça, tanto que é o único caderno que guardei...

Marcelo/Leri disse...

Passei 3 anos de minha vida estudando isso. Tenha 60,( quer dizer: 5% dela).Já rodei mundo, esquentei banco de faculdade e até hoje não encontrei serventia. Meu pai e Fernendo Eleodoro diziam que tinha, mas...