domingo, dezembro 04, 2011

Aventura das Martins... Parte III - Nova York

...E assim as Martins partiram para NY. Agora não teríamos Personnal Shopper, nem ajuda com a lingua, então valia tudo - Espanglës, Portunhol, Portuglës,mas deu tudo certo
Ao desembarcarmos em NY ainda no Aeroporto, Bete derrubou um copo de café em uma americana, aquele vexame! Ela se desculpou, gastou todo o seu inglês e felizmente a mulher não nos processou ...rsrs.

Em seguida, chegou a Van que nos levou ao hotel. O motorista nada simpático, um tipo AFRO DESCENDENTE, destes bem AFRO (sem nenhum preconceito) e nada educado. Na porta do hotel nos desentendemos com o AFRO o que gerou um BARRACO. O transporte já havia sido pago e só tinhamos um voucher referente as três e ele queria 3 papéis. Depois de muita confusão o porteiro do hotel veio nos ajudar e sugeriu que era melhor pagar e depois brigar. Seguimos o conselho, é claro, e o stress terminou com a ótima recepção do hotel, inclusive com um cokie de chocolate quentinho e delicioso.
Flanando em NY


No aspecto seguir regras, tivemos esta experiência aqui mais de uma vez, não há exceções, as pessoas seguem determinadas regras e não fogem delas em nenhuma hipótese, como no caso deste motorista, ele tinha que receber 3 papéis e ponto final. Não tem que pensar. Não tem criatividade. Não tem o nosso jeitinho... o prejuizo foi de US$36,00.


No dia seguinte, na nossa primeira experiência com o metrô, a máquina que vende os cartões enguliu uma nota de US$10,00 e imprimiu um recibo onde dizia que houve um erro e informava um número de telefone para reclamações. Falamos com um Segurança que se encontrava no local. Ele nos disse para desistir porque para receber aquele dinheiro demora meses... Enfim, ladrão tem em todo lugar do mundo!
No Central Park

Flanar em Nova York (como diz Bete) é realmente uma maravilha. E assim foi nosso primeiro dia, Empire State para apreciar a cidade do alto, depois andamos até o Central Park. Lindas vitrines decoradas para o Natal. Andamos pela 5Th Avenue vendo todas as lojas de grife. Só mesmo na Michael Kors, Bete não resitiu...


A noite, finalmente a tão esperada ópera... "Oh paí oh.. eu aqui em pleno Metropolitan Opera House para ver La Boheme, ao vivo". Fantástico para mim, sofrimento para Eleusa, que só foi nos acompanhar.


Nem mesmo o frio anunciado não chegou em NY, em compensação um dia de chuva estraga programa de turista, e infelizmente tivemos um dia assim. O dia em que tudo deu errado. Pegamos um city tour, que foi um fracasso total. Tomamos o bonde errado, ou melhor, o metrô. Fomos parar no Brooklin. Saltamos numa estação para mudar de direção e tivemos que pagar novamente. No momento que íamos passar a borboleta, alguém saiu pela porta de emergência e Bete entrou. Eu e Eleusa seguimos atrás, sem pestanejar. Entramos sem pagar, para amenizar o prejuizo. Lembram dos dez dolares... Ja que a chuva não parava fomos para o Museu Madame Toussoud onde nos divertimos tirando fotos com os ídolos de cera.
A noite em Time Square

O almoço também foi um fracasso. Mas tudo foi compensado pela segunda noite de ópera com Fausto, de Gounod, com o maravilhoso tenor Jonas Kaufmann. Emoção pura. Este assunto, ópera, fica para outro post... Enquanto curtíamos a ópera, Eleusa desfilava pelas quinta e sexta avenidas e não resistiu a uma bolsa Diesel.


Luzes na 6a Avenida
Flanar, flanar e flanar pelas ruas de Nova York, foi o que fizemos todo o resto do tempo. De vez em quando uma comprinha para não perder o costume. E foi numa destas que Bete comprou a terceira mala... branca, da Suiça... a mala!
Um passeio socrático na Bloomingdale's. Daquele que só fazemos apreciar e ver quanta coisa que não precisamos para ser feliz.


Nossa despedida foi um almoço no Central Park acompanhado de vinho e muitas risadas... A noite apreciar as luzes. Havia tanta gente na rua que parecia a 25 de março, dia de sábado... Pena que o Rockfeller Center ainda estava sendo decorado para o Natal.
Chiques no MET


com o cartaz de Faust
Enfim Nova York, capital do mundo, é um lugar para ir várias vezes...

6 comentários:

eleusa disse...

Ate que a Opera nao me sacrificou muito, mas para quem e apaixonada pelo "bom gosto" dos tenores, sopranos e contraltos, achei um pouco extravagante levar "merenda" dentro da bolsa.
Enfim, e classica mas continua "periferica".

Betty Boop disse...

Arrasarammmmm! Lindas, chiques e poderosas!!! So faltou o negao de Bete!

Bete disse...

Bel, aproveito para um "thanksgiven" geral.
Agradeço pelo convite para esta aventura maravilhosa que está sendo nossa viagem, pelo resgate do prazer de conviver com você com Eleusa, com esta familia linda do Igor, Rose e lindas filhas ,Bia e Let.
Agradeço aos primos, Lula, Selene eVitor pelo carinho e atenção!
Agradecimento especial ao casal Igor e Rose, amei conhecer vocês! Muito obrigada pela paciência tolerância e alegria de viver que vocês demonstraram. Foram momentos inesqueciveis, ficarão guardados para sempre!
Beijos grandes!

Igor disse...

Dias maravilhosos. A Familia Ramalho Matos agradece a visita.

Selene disse...

A Paschoal Martins tambem agradece principalmente
que nao eh com frequencia que temos papos tao gostosos ao redor da mesa da cozinha.

Selene disse...

Voce tem razao nisso Bel, eles nao sabem lidar com as excecoes. Entram em parafuso. Parecem uma formiguinhas sehuindo a fila e se vc cooca algo na frente delas, nao saber dar a volta. Eh preciso jah ter experiencia para conseguir fazer acontecer. Depois de anos aqui, jah consigo fazer algumas coisas acontecerem, mas nem sempre.