quinta-feira, outubro 10, 2013

Miami Herald ontem

< Artigo publicado no Miami Herald.

muito bom e bem elucidativo. Segue abaixo a tradução do texto caso prefiram ler em português.

Por Carlos Alberto Montaner, jornalista cubano residente em Madrid, ex-professor universitário na América Latina e EUA .

www.miamiherald.com/2013/09/25/3650784/why-we-spy-on-brazil.html

TRADUÇÃO DO ARTIGO:

A presidente Dilma Rousseff do Brasil cancelou sua visita ao presidente Obama. Ela se sentiu ofendida porque os Estados Unidos estava espiando seu correio eletrônico.

Você não faz isso com um país amigo.

Intrigado, perguntei a um ex-embaixador dos EUA:

"Por que eles fizeram isso?" Sua explicação foi duramente franca:

"Do ponto de vista de Washington, o governo brasileiro não é exatamente amigável. Por definição e histórico, o Brasil é um país amigo que ficou do nosso lado durante a 2a. Guerra Mundial e na Coréia, mas seu governo atual não é." O embaixador e eu somos velhos amigos.

"Posso identificá-lo pelo nome?", Perguntei. "Não", respondeu ele.

"Isso criaria um enorme problema para mim. Mas você pode transcrever nossa conversa." Eu vou fazê-lo aqui. "Tudo que você tem a fazer é ler os registros do Foro de São Paulo e observar a conduta do governo brasileiro", disse ele. "Os amigos de Luis Inácio Lula da Silva, de Dilma Rousseff e do Partido dos Trabalhadores são os inimigos dos Estados Unidos: chavista na Venezuela, primeiro com (Hugo) Chávez e agora com (Nicolás) Maduro; Cuba de Raúl Castro, Irã, a Bolívia de Evo Morales, a Líbia na época de Kadafi; a Síria de Bashar Assad.

"Em quase todos os conflitos, o governo brasileiro concorda com as linhas políticas da Rússia e da China, ao contrário do ponto de vista do Departamento de Estado dos EUA e da Casa Branca. Sua família ideológica mais parecida é a dos BRICS, com quem ele tenta conciliar sua política externa. [Os BRICS são Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul].

"A grande nação sul-americana não tem nem manifesta a menor vontade de defender os princípios democráticos que sãos sistematicamente violados em Cuba.

Pelo contrário, o ex-presidente Lula da Silva, muitas vezes leva investidores à ilha para fortalecer a ditadura dos Castro. O dinheiro investido pelos brasileiros no desenvolvimento do super-porto de Mariel, próximo a Havana, é estimado em US $ 1 bilhão.

"A influência cubana no Brasil é disfarçada, mas muito intensa. José Dirceu, ex-chefe de gabinete e ministro mais influente de Lula da Silva, tinha sido um agente do serviço de inteligência cubano. No exílio em Cuba, ele teve o rosto cirurgicamente alterado. Ele voltou para o Brasil com uma nova identidade (Carlos Henrique Gouveia de Mello, um comerciante judeu) e operou nessa qualidade até que a democracia foi restaurada. De mãos dadas com Lula, ele colocou o Brasil entre os principais colaboradores da ditadura cubana. Ele caiu em desgraça porque ele era corrupto, mas nunca recuou um centímetro de suas preferências ideológicas e de sua cumplicidade com Havana. "Algo semelhante está acontecendo com o Professor Marco Aurélio Garcia, atual assessor de política externa de Dilma Rousseff. Ele é um contumaz anti-ianque, pior do que o próprio Dirceu, porque ele é mais inteligente e teve uma melhor formação. Ele fará tudo o que puder para frustrar os Estados Unidos. "Para o Itamaraty - um ministério de relações exteriores conhecido pela qualidade dos seus diplomatas, em geral multilíngues e bem-instruídos - a Carta Democrática assinado em Lima, em 2001, é apenas um pedaço de papel sem qualquer importância. O governo simplesmente ignora as fraudes eleitorais cometidas na Venezuela e na Nicarágua e é totalmente indiferente a quaisquer abusos contra a liberdade de imprensa.

"Mas isso não é tudo. Há outras duas questões sobre as quais os Estados Unidos querem ser informados sobre tudo o que acontece no Brasil, pois, de uma forma ou de outra, elas afetam a segurança dos Estados Unidos: a corrupção e as drogas.

"O Brasil é um país notoriamente corrupto e essas práticas repulsivas afetam as leis dos Estados Unidos de duas maneiras: quando os brasileiros utilizam o sistema financeiro americano e quando eles competem de forma desleal com empresas norte-americanas, recorrendo a subornos ou comissões ilegais.

"A questão das drogas é diferente. A produção de coca boliviana se multiplicou cinco vezes desde que Evo Morales assumiu a presidência, e a saída para essa substância é o Brasil. Quase tudo acaba na Europa, e os nossos aliados nos pediram para obter informações. Essa informação, por vezes, está nas mãos de políticos brasileiros."

Minhas duas últimas perguntas são inevitáveis. Washington vai apoiar a candidatura do Brasil a membro permanente no Conselho de Segurança da ONU?

"Se você perguntar a mim, não", diz ele. "Nós já temos dois adversários permanentes: Rússia e China. Nós não precisamos de um terceiro."

Finalmente, será que os Estados Unidos irão continuar a espionar o Brasil? "É claro", ele me diz. "É nossa responsabilidade com a sociedade dos EUA."

Acho que Dona Dilma deverá mudar seus endereços de e-mail com bastante frequência.

"O que mais sinto é que vou morrer sabendo que a estupidez humana não tem solução!" Voltaire

 

10 comentários:

Anônimo disse...

Eh, parece que Papai Noel nao existe!!!

Lula (dasequacao)

Anônimo disse...

Ora, ora, ora!

Os EEUU fazem muito bem em espionar os bastardos.

Anônimo disse...

Preciso apresentar melhor minha opiniao, a piada que Papai Noel nao existe nao deu conta.

Quando eu era novo e morava no Brasil achava o imperialismo americano horrivel, uma das causas dos nossos problemas. Tirava vantagem da gente, levava o dinheiro embora e nos deixava com fome.

Depois que mudeu para ca e comecei a trabalhar decobri que eles tratam o Brasil ate bem, eles roubam mesmo e os outros americanos. O mundo dos negocios nos EEUU e feroz.

Tambem em politica, e mais feroz ainda. O segredo e nao ser pego em flagrante. Veja o que Nixon fez, estava espionando um partido americano, nao era brasileiro.

Tem tambem o que nao podemos provar. John Kennedy e Princesa Diana morreram em momentos muito convenientes, de forma misteriosa tal que os mandantes nao foram achados. A diferenca deste para a espionagem de Nixon e que nao foram pegos, fizeram bem feito.

Portanto os americanos alem de Dilma e companhia certamente espionam Angela Merkel, o premier da Inglaterra, varios outros e possivelmente Obama.

Do ponto de vista americano, se Dilma nao esta tramando contra os EEUU por que se ofendeu? Os outros presidentes do resto do mundo sabem que estao sendo espionados e nao fazem nada.


Lula (dasequacao)

Bel B disse...

Bastante esclarecedor este artigo. Não via qual o interesse do governo americano aqui.

Anônimo disse...

Concordo com Bel que a informacao e relevante, discordo da analise "fim do mundo", e "business as usual" (negocios como sempre)

Lula (dasequacao)

Fernando disse...

É uma forma de aparecer.

Fernando

Bel B disse...

Coloquei uma foto para ilustrar a reportagem.... rs

Anônimo disse...

Eu queria saber o valor e como foi pago........
Alguém foi preso?
A compra foi entregue?
Se foi entregue chegou a operar?
Qual foi o resultado?

O INGÊNUO

art disse...

Obrigado a Bell pela ilustração do computador de bolso desenvolvido em Cuba, à frente do flagrante, a impressora.

CB disse...

Isso não é novidade para mim, digo até que o buraco é bem mais embaixo. A penetração americana aqui, em defesa do povo dos EUA, diria, do mercado dos EUA, vai muito além e infelizmente nos falta técnica e consciência patriotica em nossas defesas, diga-se de passagem a nossa Alcântara, tão ingênua. Engraçado é que como o país, que é o maior produtor de pornografia do mundo, ainda consegue impor respeito e nos tratar como o país onde as pessoas só se preocupam com os pêlos pubianos. A fonte desse processo não está no simpels fato de sermos monitorados, mas pelo fato de em alguma medida desejar este modelo, está em nós, os atos são consequencias.