segunda-feira, setembro 02, 2013

narcolulismo.- uma realidade.

Rio – O tráfico de droga, a mais poderosa organização financeira do mundo, começa a entrar na política sorrateiramente. No Rio, numa escala menor, eles se infiltraram na Câmara dos Vereadores e na Assembleia Legislativa. No Norte do pais, os chefões financiam deputados e governadores. E pelo resto do Brasil, são comuns as informações de parlamentares que vivem a soldo da organização. Agora, os tentáculos dos traficantes chegaram a Unasul, entidade que reúne 12 países da América do Sul, criada em 2008, sob o pretexto de eliminar as desigualdades socioeconômicas.
Com o voto da presidente Dilma, o novo dirigente da entidade agora é o presidente do Suriname, Desiré Bouterse, condenado a 11 anos de prisão pela Justiça holandesa por tráfico de drogas. Além disso, é um serial killer político. Pesa contra ele a morte de dezenas de adversários políticos desde a década de 1980 quando disputou eleições para chegar ao poder. Não por coincidência, quando Desiré Bouterse tomava posse na sexta-feira ((30/08), Dino, o filho, era preso no Panamá por tráfico de drogas.
Na mesma reunião, o presidente da Bolívia Evo Morales, deu uma entrevista na sede da Unasul em Paramaribo, no Suriname, para chamar a atenção da presidente Dilma sobre Roger Pinto Molina, que deixou ilegalmente o seu país escoltado por fuzileiros navais brasileiros e um diplomata. Morales voltou a afirmar que o senador é um “delinquente comum”, portanto, sujeito às leis bolivianas. Exigiu que o Brasil devolvesse Molina para cumprir pena em seu país pelos crimes cometidos, entre eles, o de cortar duas árvores na sua fazenda.
A perseguição a Molina começou desde que ele entregou um dossiê ao próprio Evo Morales apontando o envolvimento da cúpula de seu governo com o tráfico de drogas. Morales sentiu-se acuado e decidiu atacar o senador em vez de mandar apurar as acusações contra seus ministros. Na verdade, Molina, com as denúncias, passou a ser o principal opositor político de Morales que, como todo déspota, faz de tudo para se perpetuar no poder.
A controvertida ação humanitária do diplomata Eduardo Saboia de tirar Molina da Bolívia só foi possível porque o governo petista não tem interesse em contrariar Evo Morales. A Bolívia mantém o Brasil refém do seu gasoduto que abastece a indústria paulista a preço (ainda) barato. Além disso, a esquerdopata sul-americana, influenciada pelos lulapatas, para se manter no poder, fazem entre si concessões vergonhosas e fecham os olhos para a infiltração na política da maior organização criminosa do planeta – o narcotráfico.
São, no mínimo, cúmplice da tragédia provocada pelas drogas no mundo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Andre, voce esta vendo as arvores e nao a floresta. Voce esta dando muita importancia a Lula, ele e so mais um ponto na curva. Getulio foi melhor como ditador (matou e torturou mais) e Maluf foi muito melhor como corrupto!!

Eu quero tambem explicar o que Evo Morales e companhia significam. A aristocracia preguicosa e falida da America Latina passou seculos dominando, ate usando votos de cabresto e coronelismo recentemente. Quando Evo Morales foi eleito o oponente dele era Louzada. Louzada e boliviano de elite, educado nos Estados Unidos, fala espanhol com sotaque, quanto mais a lingua dos indios bolivianos. Morales pode ser corrupto, perseguindo oponentes mas e boliviano do povo.

O mesmo fale para Chavez, Kirchener e Lula. O que eles tem em comum e que eles sao politicos eficientes, comunicando com o povo. Compare estes com os outros candidatos e ex-presidentes que tivemos, Sarney, Maluf, Antonio Carlos Magalhaes.

Em conclusao, o povo escolheu Lula porque nos, a aristocracia falida falhamos. Com todo poder que tinhamos nao conseguimos apresentar cadidatos viaveis.

Lula pode ter um monte de erros e problemas, mas em 50 anos vai ser visto como um marco na nossa historia, o primeiro presidente que o povo elegeu e soube governar.

Luladasequacao