segunda-feira, janeiro 24, 2011

Oh! Que saudades que tenho da aurora da minha vida, da minha infância querida que os anos não trazem mais!


Casimiro de Abreu foi feliz, retratou em " Meus oito anos" a saudade que sentimos da nossa infância, da inocência, das brincadeiras, dos passeio em família, da turma na fazenda...Oh! Que saudades... Mas que podemos matar estas saudades, podemos sim. E foi o que fizemos no fim de semana na fazenda Havaí que hoje pertence ao grande fazendeiro "Dudão", administrada pelo grande gerente "Sergim".

Aos que foram, agradeço, aos que não foram ou não puderam ir, como fizeram falta.

Um breve relato.
Participantes :


Os fixos : Sérgio, Duda, Tio Edinho, Joana, Maria Luísa, Ana, Robson, Maria Júlia, Felipe, Ivana, Anete (sabem que perdi o ônibus de ida (20:00 horas) por causa do atraso do Teletaxi, mas o ônibus de 20:01 horas ainda não tinha saído e me deu carona até o flexa de Feira? Quando agente tem que ir, até os imprevistos conseguimos contornar, isto fora que comprei a passagem na internet para a data errada, mas deu tempo remarcar), Diego, Chenoud, Andressa, Gabi, Pedro, Gal.

Os visitantes (passaram rapidinho) : Tia Noe, Tio Elifaz e Zéu. Até Adelvino apareceu...

As supresas (realmente não esperavamos) : Anamira, Tim, Dinda e Lucas (realmente faltava as esposas pois todos os cabras estavam solteiros, Dudão, Robinho -Janete só iria chegar no domingo com Lilian, Serginho - ainda bem que Anamira chegou, Felipe -Naninha, como você fez falta, Dinda, Chenoud, Zéu. Mas as mulheres que não foram podem ficar tranquilas pois eu e Ivana estávamos cuidando deles.)
O churrasco : Sérginho me pegou em Itagi às 05 horas e 40 minutos de manhã, fomos para a feira comprar o restante que faltava. Nunca vi feira mais pobre, o tempero verde vem de Conquista e a cebolinha vende casado com o coentro. Não achamos de jeito algum a gengibre e o hortelã. Bem, chegamos na fazenda mais de 8 horas e começamos os trabalhos. Nunca vi um churrasco sair tão rápido, só sei que já tinha gente dormindo uma hora da tarde... Teve picanha, o carneiro temperado com hortelã grosso - tinha uns pés atrás da casa - por Ivana, maravilhoso, a farofa d'água feita por tia Noe, eu fiz um sarapatel de carneiro que ficou até mais ou menos, o vinagrete. E o peixe do Lipe? Estava uma delícia. Taí a prova que trabalhou...

Cerveja a vontade, coca para a garotada, água mineral.... Tudo perfeito. Felipão levou direto até de madrugada, não tirou nem um cochilo.

É tanto causo que fica difícil colocar tudo no papel, relembrando as caminhadas, os acampamentos de Durega, papos até de madrugada, para no outro dia acordar cedo de novo e começar todo o processo com ovos mexidos, farrofa de arroz com o resto da carne que sobrou do churrasco, melancia, batata doce, cafezinho feito por Dudão, a coalhada fresquinha, etc..... Ainda teve o caso do sumiço do colchão de tio Edinho......

Tia Noe passou rapidinho - e me vi, junto com Ivana, a nova geração que está assumindo a cozinha..rs...rs....

E no final..... uma foto para a posperidade... (como deu trabalho reunir este pessoal, até a bateria de minha máquina acabou, a garotada estava dormindo pois ficaram até 4 da matina jogando baralho - mas no final conseguimos bater com a máquina de Robinho)

Valeu Galera! Até a próxima, que vai ser no Brejão no fim de semana, 05 e 06 /02/2011, comemorando o niver de Sérginho e Quito (os dois nasceram em 02 de fevereiro).

12 comentários:

Bel B disse...

Gostei da rapidez da reportagem... BRAVO!...
Pelo jeito a fila anda até na cozinha...
Aind não tive oportunidade de experimentar a comida do chef Felipe.

Ivana disse...

Olha turma!

Quem não foi perdeu.
Buquinha você fez falta lá. Com certeza estaria na equipe da cozinha falando abobrinhas e fofocando.

André e Pat também perderam essa. Foi bom demais estarmos juntos.

Chalão é bom nem falar! O comentário rolou mesmo! Consequantemente faltaram Vivi e Adeláide e Cia.

Detalhe: Toda essa festa e Dudão sem beber...... Mesmo assim foi um anfitrião de primeira....mas claro com o gerente do lado para tirar as dúvidas.....rsrsrsr

Ivana

art disse...

Caraca, foi de arromba

Naninha disse...

Bel, esperamos vocês aqui em Conquista. O Chef está cada dia melhor.

Fiquei doida para ir.....a quem não acredite.

Naninha disse...

"No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer" (aniverário, álvaro campos)

Pat disse...

A farra foi ótima como sempre, hein? Anete adorei as fotos, a primeira com a árvore no meio está linda! Beijos
PS.: Vou continuar jogando na Sena, quem sabe não ganhamos e compramos um jatinho para circular em todos os eventos... Sonhar não faz mal a ninguém.

fazendaparis@gmail.com disse...

Gostei Dudão, vc realmente esta de parabens, a origem é a coisa mais importante de um Homem.
Na primeira oportunidade irei te visitar com minha galera .
Abraços
Leo,Alessandra,Duda e Nanda

Bel B disse...

Naninha, breve vou a Conquista e vou levar o outro chef para dar nota também, não para competir.

Naninha disse...

Bel, Competir jamais...vamos é comer bem!!!

Ivana disse...

Pat,

A foto da árvore é o que avistamos o tempo todo na frente da casa. É um cartão postal e uma linda paisagem.
Fez bem esses dias apreciando a natureza. Itapoan também não fica atrás, está uma maravilha. Pode colocar no seu roteiro quando conseguir o jatinho.
Segundo o "segredo": é almejando que se consegue.

Bjs.

Ivana

Pat disse...

Ivana, bela vista vocês tiveram. Vou continuar almejando as conquistas, uma hora sai alguma coisa.rsrrss. Beijos a todos.

Alessandra disse...

Q beleza de congraçamento!!! Essa é uma família q faz jus ao q nos reporta uma " família": união, soidariedade, aconchego, alegria... É uma przaer fazer parte dela!