domingo, setembro 26, 2010

Ela está entre nós



Do Estadão, agora a pouco:

A equipe de Dilma Rousseff (PT) precisou encurtar a visita da candidata à Feira de São Cristóvão, na zona norte do Rio, depois que a passagem dela provocou confusão no pavilhão dedicado à cultura nordestina. Mesas e cadeiras foram ao chão, dois homens chegaram a trocar empurrões e os militantes que acompanhavam o evento ficaram espremidos quando seguranças tentaram fechar o portão por onde Dilma e seus aliados saíam.

Cercada por assessores e seguranças, pelo governador do Rio e candidato à reeleição, Sérgio Cabral (PMDB), pelos postulantes ao Senado Lindberg Farias (PT) e Jorge Picciani (PMDB), e por candidatos a deputado de partidos aliados, a presidenciável petista circulou com dificuldade, cumprimentou poucos eleitores e conseguiu ficar apenas sete minutos no local.

O objetivo original do passeio-relâmpago era conversar com visitantes e sentar à mesa de um restaurante para comer pratos típicos, mas a passagem pelos corredores estreitos da Feira foi dificultada por dezenas de militantes que tentavam se aproximar dos candidatos. Aliados atribuíram o tumulto ao sucesso das candidaturas de Dilma e de Cabral.

Foi o último evento de campanha da candidata em sua estada no Rio antes do debate da TV Record, à noite. Dilma disse que espera discussões de alto nível, destacando propostas com tolerância e respeito.

Peguei essa fala transcrita pelo jornalista que estava cobrindo o evento, o pobre coitado deve ter copiado o pensamento único da petista e tentou torna-lo, digamos publicável, aí vai mais uma pérola sobre o Nada :"Nosso processo de desenvolvimento permite que a gente queira construir não só um País e uma sociedade desenvolvidos, mas que a gente queira também estruturar um projeto de nação. Para fazer isso, você precisa de educação de qualidade e de respeito absoluto a sua expressão cultural", avaliou Dilma.

3 comentários:

Igor disse...

André já que a semanas vc vem criticando rotineiramente a candidata do PT qual seria a opção alternativa e o que este candidato tem de bom?

Igor
Eleitor indeciso direto do velho oeste.

art disse...

Igor, não critico a Dilma, que nem do PT é, ela nasceu e se criou no PDT do Brizola, e foi trazida para o PT pelo Lula, como uma alternativa pessoal dele (isolou com isso Dirceu e Palloci). Confesso que tenho medo do Serra pela sua formação como economista: é um técnico brilhante, mas centralizador e (pior) entende para caramba de tributos ( o que para a classe média é algo assustador). Ele tem por exemplo um programa em São Paulo de nota fiscal, onde o consumidor recebe 30% do imposto que o varejista paga, reduzindo o preço final. Isto é, Serra tem vida própria e muita experiencia administrativa, por isso voto nele. Dilma, como Lula e Odorico Paraguassu, são apenas figuras de humor em nossa retórica do dia a dia.

Alvaro disse...

Igor,
pelo q entendi de sua pergunta, vc é um eleitor da Dilma e quer saber, se não for nela, em quem votar. Eu, por exemplo, voto em programa de partido e não pessoas. O programa de partido do PT vc sabe qual é, e temos um PNDH-3 no congresso para ser implementado, q nada mais é que o programa do PT. Se der Dilma, esse projeto será implementado, já q na câmara e no senado, o PT e seus asseclas terão maioria. Estaremos num processo parecido com a Venezuela, onde a oposição (inocentemente) boicotou a eleição para o congresso. Resultado: Chavez conseguiu maioria total e aprovou o q quis, inclusive mudanças na constituição. Ganhando a Dilma e com controle total do congresso, teremos as mudanças ansiadas pelo PT na Constituição.
Exemplo: Controle da imprensa; Restrição ao acesso à Justiça; Esvaziamento da função do STF e TSE; Aumento de impostos; Reforma tributária penalizando as "zelites"; Reforma política para perenizar o PT no poder (ou vc acha q irão privilegiar a democracia?); Revogação da Lei de
Responsabilidade Fiscal (Lula já reclamou dela); Esvaziamento do TCU (outra reclamação do Lula), e por aí vai.
Agora, eu estou tranquilo pois cada povo tem o governo q merece. Se nós a zelite (o Lula não acha q somos povo), estamos quietos é porque concordamos.